Carole & Tuesday #11 – Impressões Semanais|Conflito

O que é isso, meu consagrado? O que está acontecendo na tela do meu computador? Particularmente falando, esse episódio foi uma “mistureba” de acontecimentos que eu não saberia explicar. Sem dúvidas, o fator que mais preocupou o público, no início, foi o “presente de grego” da Cybelle (e durante o episódio todo não falaram o que diabos era aquilo, deve ser nitrogênio líquido mesmo, como alguns disseram), e isso ditou toda a importância dos acontecimentos. 

O mundo não é um grande arco-íris…

Uma das principais coisas que eu gostaria de destacar é a preocupação da Angela com as suas rivais, sério, não esperava isso dela. O interesse pelo o assunto levou ela a suspeitar de sua mãe e de sua manager. Uma atitude interessante da personagem, e na minha lista de preferência pessoal, a Angie dispara em primeiro lugar. 

Pessoa mais sensata ~

Agora falemos das apresentações musicais, olha, o Pyotr deu um show de carisma, de dança e de música no episódio passado. Havia todos os fatores do mundo para que ele passasse a final para enfrentar a Angie (poww). Sério, a Tuesday estava lesionada e não poderia tocar seu violão, o que levou a uma apresentação carregada de incertezas, como a própria Catherine disse lá, entretanto, elas passaram para a final mesmo assim (??). 

Tudo bem, a música foi verdadeira, foi sim, mas a apresentação das meninas estava longe do auge que elas costumavam apresentar nos episódios passados. Sinceramente, não vejo a apresentação das duas superior a do Pyotr, e estou até agora tentando entender como elas conseguiram desbancar ele poder do protagonismo

Eu deixo o meu destaque para a Carole que tem tomado pulso firme diante de todo um clima medonho que a dupla vem tendo nesses últimos episódios. Eu gosto demais da personagem, afinal, por mais que ela almeje seus sonhos, ela mantém os pés no chão; sem se empolgar muito como a Tuesday faz. Ela é um alicerce muito forte para manter a dupla nos eixos, e foi interessante como o episódio quis deixar claro esse contraste, principalmente, na “briga” que as duas tiveram no final. 

E foi um conflito que eu até tinha “previsto” em análises passadas, para animes de 24 episódios, isso é algo necessário para que as personagens cresçam, e, no momento, quem mais precisa crescer psicologicamente é a Tues, a falta de discernimento dela com as atitudes da Cybelle quase as gerou uma eliminação. 

A própria Carole cita isso muito bem, que um dos problemas da Tuesday é não falar, é não expor o que sente. Além disso, a Carole sabe que elas não têm poderio para derrotar a Angela no momento (e a Tuesday continua no seu mundo azul). Eu adoro contraste de ideologias, e esse drama foi o ponto alto, o que salvou o episódio de fato. 

Falando em parte final, a Tuesday foi sequestrada e eu só consegui ficar (????), sério, que diabos foi aquilo? Espero que realmente seja a mãe dela envolvida, e não a chata da Cybelle (ô garotinha insuportável). Falando nela, espero que tenha sido levada para o Asilo Arkham, pois o nível de psicopatia está padrão Coringa. 

Alguém chama o Batman para essa menina ~

Em linhas gerais, foi um episódio confuso, que trouxe um drama interessante, mas que poderia ser melhor (se elas tivessem perdido, o que não seria um absurdo, e faria mais sentido), entretanto, vamos ver o que o roteiro pretende com esse arco do sequestro, e se for a Cybelle envolvida, pode ter certeza que teremos um penhasco na parada. 

Nota do Redator para o episódio: 2.8/5 

Breno Santos

Estudante, 21 anos, amante de astronomia, café e cultura otaku no geral; além disso, é fascinado por cinema e pelo trabalho executado por uma staff de animação.