Kaguya-sama: Love is War #09 – Impressões Semanais | No edredom!

Alguém tem alguma duvida sobre a genialidade de Kaguya Shinomiya? A primeira esquete dessa semana trouxe um ótimo contraste; onde a extrema inteligência e antecipação de Kaguya, graças a seu intelecto, a levaram para o pior estado possível na última esquete.

Será que foi uma referência a série 24 horas? Hehehe

Antes disso, é interessante ressaltar o medo da Fujiwara de trovões. Uma participação tímida dela nesse primeiro momento, mas que não deixou de ser engraçada. Em linhas gerais, qualquer comédia romântica que se preze, tem que ter o episódio do “tufão”.

Foi assim em Nisekoi; quando o Raku ficou preso na casa da Onodera por causa desse evento meteorológico (inclusive, apesar de eu shippar Chitoge e Raku, esse capítulo/episódio do tufão é um dos meus preferidos de toda série). E, mais recentemente, tivemos um exemplo em Bunny Girl, onde o protagonista Sakuta encara um tufão de bike para ajudar sua melhor amiga.

Ou seja, tufões sempre nos levam a situações favoráveis dentro dos animes. E a Kaguya queria se aproveitar do momento para ter um “car date” com o presidente. Só que, adivinha? Nada seria tão fácil! O Shirogane teria que implorar. E quase que a premissa de Kaguya foi arruinada pela Fujiwara, quando a mesma ia oferecer uma carona no táxi para o Miyuki.

Seria engraçado ver o Shirogane indo embora com a Fujiwara e a Kaguya ficando na sala do conselho estudantil totalmente desarmada (KKKKK). Entretanto, a secretária foi tirada na base da força. E a Kaguya? Continuou jogando baixo, pois fez questão de deixar a bateria do celular do presidente, zerada.

Agora vem a melhor parte. Kaguya esperava por Shirogane do lado de fora. Eis que a maid, Ai Hayasaka, surge com o seguinte dizer: “beleza, você quer levar o Shirogane no carro, mas como eu vou embora?”. Quando a Kaguya falou para ela ir apé, foi simplesmente hilário. Porém, a Ai, aparentemente, é adepta do karma.

E o karma foi cruel com a Kaguya. Pois o Shirogane passou de bike, isso mesmo, no estilo Sakuta de encarar tufões. Sobretudo, passou por uma poça e molhou a Kaguya. Ou seja, o próprio plano dela, a levou ao precipício.

“Tudo o que você faz, um dia volta para você!” – Boomerang Blues, Renato Russo ♫

Apesar dos eventos climáticos adversos, temos tabelinha sim. Kaguya sai zerada, afinal, depois de toda a armação, ela saiu perdendo. A Chika foi tirada de combate, então, ficou impossibilitada de pontuar. Quem leva os três pontos é a maid, Ai, por alertar a Kaguya sobre o karma. E o presidente, afinal, ele encarou um tufão de bike.

Na segunda esquete, soubemos que Kaguya ficou fora de combate por uma gripe. E a sala do conselho estava em agitação para saber quem iria visitá-la. Sobretudo, Ishigami era o menos animado com a ideia (todavia, julgo que seria bastante interessante essa visita). Eis então que entramos no momento Kakegurui.

E o que falar da Chika em seu momento de jogatina? Olha, me senti vendo um episódio de Kakegurui. E o pior é que as coisas se assemelham. Vejam bem, Chika é do conselho estudantil e estava trapaceando nos jogos. O que o conselho de Kakegurui mais faz? Roubar! Isso mesmo.

Porém, a vontade de ver a Kaguya em seu modo “fofa” foi maior para o Shirogane, que, no final, até ativou seu modo “pro player” para conseguir derrotar a Chika ladra. Não querendo colocar a vitória do Shirogane em segundo plano, mas vou ressaltar aqui que, a melhor coisa dessa esquete, foi o Ishigami fazendo bullying com a Fujiwara (KKKKKKKKKKKK).

Foi uma completa inversão de posições. Normalmente, é o Ishigami que sai derrotado falando que quer morrer e ir para casa. Dessa vez, vemos a Chika atuando dessa forma. E o Ishigami escrachando com as atitudes dela. Pois, afinal, além de roubar, ela perdeu através da descoberta do próprio roubo dela.

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

O Miyuki fatura mais três pontos pela vitória nas cartas. Ishigami fatura três por pegar no pé da Fujiwara; esta sai zerada em sua pior participação dentre todas as nossas competições.

Beleza, Miyuki foi até a mansão Shinomiya. Que lugar absurdo! Kaguya, literalmente, limpa suor com nota de 100. Nossa terceira esquete foi sobre essa visita e, mais uma vez, toda comédia romântica que se preze, tem que ter a visita ao doente.

E a Ai, mais uma vez, rouba a cena. Primeiro, se disfarçando. Subsequentemente, armando toda uma armadilha para o Shirogane. Eu gostei da referência que a personagem fez a Freud. E para quem ficou boiando, vamos falar de psicanálise.

De acordo com Sigmund Freud, a personalidade de um ser humano é composta por três elementos. O ID, o Ego e o Superego. Esses três trabalham, simultaneamente, para criar os comportamentos humanos complexos. Ficou confuso? Calma, vamos por partes.

Alguém contrate ela para dar aula de Neurociências?!

De acordo com Freud, o ID já vem com a gente desde o nascimento. É um aspecto completamente inconsciente, pois abrange um leque de comportamentos instintivos e primitivos. Ainda, segundo Freud, o ID é responsável por toda a energia psíquica. Em suma, o ID é a famosa “ação por impulso”, mais precisamente, “ação impulsionada pelo princípio do prazer”.

Pois bem, mas imagina se o ser humano saísse por aí fazendo tudo por impulso? Tudo por uma gratificação de momento? Seria um caos, correto? Eis que entra um dos componentes essenciais para “frear” essas atitudes. O ego. Segundo Freud, o ego é o elemento da personalidade responsável por lidar com a realidade.

De mesmo modo, o ego se desenvolve a partir do ID. Garantindo que os impulsos gerados por esse originário, sejam expressos de uma forma aceitável no mundo real. Em um exemplo prático, o ego é aquele seu amigo que tenta te impedir de fazer “merda” quando você está prestes a cometer algum ato de extrema burrice.

E a Hayasaka resume em uma frase bem clara para o Shirogane. A Kaguya fica “idiota” quando está doente. Ela não dispõe de um ego para freá-la. Agindo, dessa forma, por puro impulso. Tanto que a primeira coisa que ela diz quando vê o Miyuki é: “Presidente, você vai morar aqui agora?!” (KKKKKKKKKKK).

De qualquer forma, a Ai queria que o Shirogane se “aproveitasse” da situação. E acabou deixando-os a sós dentro do quarto. Pouca gente pode ter dado valor a um diálogo mais profundo que teve entre a Kaguya baka e o presidente, mas ele foi de suma importância.

A Kaguya fala sobre só conseguir agir através dos princípios de sua família. Que, basicamente, se resumem em manipulação das pessoas, em controle e poder. Na minha concepção, um pedido de desculpas indireto dela para o fato de não ter dado carona. Apesar da Ai não ter explanado sobre o superego defendido pro Freud, essa cena exemplificou muito isso.

Vamos ao terceiro elemento da personalidade, segundo Freud. O superego. Ele é o último componente da personalidade a se desenvolver e, normalmente, surge por volta dos cinco anos de idade. É o aspecto que mantém todos os padrões morais da pessoa internalizados; bem como armazena os ideais que adquirimos de nossos pais e da sociedade. Em resumo, é o nosso senso de certo e errado.

Veja bem, a Kaguya age sob os ideias de sua família, ou seja, muito mais com o superego do que qualquer outra coisa. E, de acordo com Freud, a chave para uma personalidade saudável, é o equilíbrio entre esses três elementos que eu expliquei. Coisa que esses protagonistas não dispõe, né? Heheh.

É nisso que a família Shinomiya se embasa

Enfim, agindo instintivamente, Kaguya levou o presidente para cama. Calma lá, rolou um edredom sim, mas o Shirogane dormiu. E quando a Shinomiya acordou e percebeu a presença dele (KKKKKKKKK), aí, tivemos o senso de certo e errado dela agindo corretamente novamente.

Nossa pontuação fica assim então. Kaguya leva dois pontos pela sinceridade e pela audácia (apesar de ela estar agindo por instinto aquela hora). Shirogane leva dois pontos também, pois mesmo ganhando o jogo de cartas, estava com o pé atrás de visitar a vice. Três pontos quem leva mesmo é a Ai Hayasaka! Pelo disfarce, por dar uma de Sherlock Holmes no final investigando o edredom e, principalmente, por ter nos fornecido uma excelentíssima explicação de psicanálise.

Campeonato Brasileiro A guerra de Kaguya contra Shirogane (e os outros) 7ª edição

PersonagemPGCVED
1. Shirogane83300
2. Ai Hayasaka62200
3. Yu Ishigami31100
4. Kaguya22100
5. Chika Fujiwara02002

Shirogane volta a conquistar o Scudetto, chegando ao seu segundo título. Agora, ele empata com Kaguya, que, também detém dois. Entretanto, a hegemonia ainda é de Chika, que, apesar da péssima campanha nessa edição, ainda detém três títulos. Yu Ishigami corre por fora com um título.

Scudetto: é como é chamado o título do Campeonato Italiano de Futebol.

Explicativo: teve um leitor na análise passada que disse não estar entendendo o sistema de pontos. Respondo para ti, meu consagrado! É bem simples (e serve a todos aqueles que ainda não entenderam hehehe). Eu me baseio no campeonato brasileiro de futebol. O “PG” é de pontos ganhos. O “C” é de confrontos, ou seja, o número de esquetes em que o personagem participa.

Dando continuidade, o “V” é de vitória. O “E” é de empate. E o “D” é de derrota. Normalmente, uma vitória vale 2 ou 3 pontos. Um empate, normalmente, vale um. E a derrota, obviamente, nada. Eu levo em consideração o mérito do personagem durante a esquete (as ações que ele tomou) para considerar os pontos. Espero que tenha ficado mais claro para todos! 🙂

Voltando aqui, em linhas gerais, um ótimo episódio. Principalmente, por conhecermos um pouco mais sobre a Kaguya e seus ideais. O anime continua se sagrando um dos melhores da season.

Nota do Redator para o episódio: 4.8/5

Extras:

Só faltou dizer, “vai, filhão!!” KKKKKK
Chika trolada!! KKKKKKKK
Parece que o jogo virou, não é mesmo? KKKKKKKK
Essa estratégia tem o patrocínio de Kakegurui, o anime das roubalheiras!

Não podemos negar que ela estava fofa sim! Hehehe
Adorei esses layouts que fizeram durante as acusações para com a Chika! Olhem esse, que criativo!

Breno Santos

Estudante, 21 anos, amante de astronomia, café e cultura otaku no geral; além disso, é fascinado por cinema e pelo trabalho executado por uma staff de animação.