Tensei Shitara Slime Datta Ken #18 – Impressões Semanais

Um episódio de movimentação e transição entre ameaças. É basicamente assim que resumimos os acontecidos dessa semana.

Nunca confiem em palhaços. Vocês podem acabar virando a piada!

A primeira ressalva é para o tempo que foi disposto ao personagem Phobio. Depois da aparição do Laplace, vulgo Ronald McDonalds; mais palhaços apareceram em cena para problematizar as coisas.

Eles são subordinados do lorde demônio Clayman. Um cara que quer ver o circo pegar fogo de longe (não foi trocadilho com os palhaços), afinal, manipular o Phobio para ele controlar o Charybdis foi uma boa sacada. Entretanto, algo que me incomodou foi a certeza que os palhaços tinham.

Talvez eu tenha deixado passar despercebido, entretanto, em momento algum eu vi algo que desse indício de que a dupla de palhaços sabia que o Phobio e sua trupe haviam arrumado problemas na vila do Rimuru. Ademais, como eles saberiam que o Phobio nutria um ódio pela Milim?

Teve aquele papo de “fomos atraídos por seu ódio”. Mas, sinceramente, isso não “cola” comigo. Tirando essa “incoerência”, a estratégia fluiu bem. Agora, há um “monstro-peixe” voador com tubarões voadores gigantes indo até a Federação Tempest.

Detalhe interessante foi a chegada da Dríade; a irmã mais nova da Treyni. Ela trouxe a informação do ataque e, além disso, descobrimos que Charybdis, aparentemente, é uma das crianças de Veldora. Veio atrás da pensão alimentícia, só pode.

Vamos dar atenção também a determinação do Rimuru e o gancho que isso pode ser para uma possível segunda temporada. Aparentemente, ele já tem um objetivo traçado: lorde demônio Leon, em linhas gerais, o responsável pelo sofrimento da Shizu. Eu achei interessante que essas questões internas continuem presentes no personagem, afinal, acredito em um desenvolvimento ainda maior caso ele cumpra essa quest.

Outro ponto positivo (e negativo ao mesmo tempo) é o excesso de confiança do protagonista. Ele já projeta o embate com o Leon; tirando totalmente o Charybdis de perspectiva. O lado bom é que vemos uma persona de atitude, firme e inabalável. O lado negativo é que pode ser um indício de mais um embate fácil.

E mesmo que não seja fácil a luta, essa ideia de confiança que o Rimuru transmite é um salvaguarda para o telespectador. Sempre estamos resguardados na possibilidade de que nada ruim irá acontecer, pois o Slime mais poderoso do mundo vai chegar e resolver. Ou seja, caso aconteça algo de mais grave (fator que eu acho improvável) pode ser bem chocante; como foi com a Shizu (pelo menos para mim).

Para encerrarmos, vamos falar do outfit da Milim. Ela continua esbanjando estilo e seu adorno mais novo é uma gargantilha do Rimuru (sério, vocês notaram isso? Achei um detalhe bem bacana). No contexto geral, temos uma garotinha que quer mostrar seu valor para seu “superamigo”.

Achei muito legal esse design dela nesse episódio em questão. Essa sacada da gargantilha foi ótima!

Porém, ela está sendo sempre repreendida. Mais pela Shion e pela Shuna do que pelo Rimuru em si. Essa relação me lembrou de Spiderman: Homecoming. O contexto lá era parecido: Peter Parker querendo mostrar seu valor para o Tony Stark. No universo de Slime, seria algo como a Milim “pagando” de Peter e o Rimuru de Stark. De qualquer forma, desde que a Milim não vire pó, eu estou tranquilo. (Referenciadores irão entender).

Antes de fecharmos, Rimuru pretende uma empreitada no reino humano. Construir uma estrada. Acho bem legal esses pequenos pontos que mostram o crescimento da Federação Tempest.

Muitas perguntas ficam para o episódio subsequente. Esse foi “ok” e conseguiu entregar o que se propôs. Agora, nos resta esperar pelo desfeche desse conflito, e como Rimuru irá lidar com esse peixe voador.

Nota do Redator para o episódio: 3/5

E você, que nota daria ao episódio?

[yasr_visitor_votes size=”medium]

Extras:

Milim: a incompreendida. Não deixam a menina ganhar nem uma competição de respiração hahah
Essa conferência da ONU fica cada vez maior!
Godzilla 3: a volta dos que não foram
Senhor Stark… eu só queria provar o meu valor!

Breno Santos

Estudante de química, 20 anos, amante de café e da cultura otaku no geral. Além disso, é fascinado por cinema e pelo trabalho executado por uma staff de animação.