Lycoris Recoil #01 a #03 – A possível Best Girl da temporada | Primeiras Impressões

Se não ficou claro até agora pelos meus textos nesses anos que escrevo aqui, eu sou uma pessoa que se vende muito relativamente fácil para waifus.

Lycoris Recoil estava no meu radar por conta disso, mas eu não esperava que fosse me pegar tão de jeito em tão poucos episódios.

Além da história em si ser interessante, a Chisato foi uma grata surpresa que eu não esperava receber, já que sozinha tem conseguido fazer o anime valer a pena para mim.

Eu sei que é exagero dizer que uma única personagem garante o anime como sendo bom, mas a verdade é que o conjunto da obra funciona bem e me passa a confiança de que pode sair algo legal dali.

Por enquanto a best girl da temporada para mim.

Desligando o modo emocionado e indo para o lado racional, o carisma da Chisato é algo muito bom dentro do anime porque a gente precisa simpatizar com os personagens.

Pode ser o roteiro mais inovador e elaborado do mundo, se os personagens não foram cativantes a tendência é que você passe a dar menos credibilidade para as coisas, já que não se importa com quem sofre/cria elas.

Da mesma forma, uma história medíocre pode se tornar interessante quando você tem alguém por quem se identificar e torcer.

A Chisato consegue cumprir bem esse papel, mantendo um bom equilíbrio entro o lado waifu (carisma, design, personalidade) e o lado protagonista (atitudes, tomada de decisões, ideais).

Melhor dos dois lados.

Nesses três episódios ela conseguiu me mostrar bem ao que veio, seja pela forma que age durante as missões ou pelo modo como serve de apoio emocional para os demais personagens.

Além disso, os seus ideais de não querer matar pessoas, mesmo sendo uma assassina treinada, funcionam bem para me deixar curioso sobre o seu passado, o que, por tabela, também me faz querer entender mais da história do anime.

Qual é a verdade por trás da organização AD? Quem são os verdadeiros inimigos? O que aconteceu para Chisato ter mudado de postura?

Por mais que tudo isso tenha partido do interesse pela Chisato, é esse tipo de pergunta que me faz querer ver o anime e ficar interessado pela obra.

Quero ver até onde vai.

Mas ok, nem só de waifu vive o homem, então vamos falar da ação.

Não é de hoje que o estúdio A-1 Pictures vem entregando boas animações e aprimorando cada vez mais suas técnicas, mas o que me chamou a atenção no anime foi a coreografia das lutas.

Eu carinhosamente já batizei a Chisato de John Wick de saias porque para mim parece que os diretores/animadores fizeram as cenas com o filme aberto do lado.

A forma como ela se move e atira me lembra muito o estilo preciso dos filmes do Jonh Wick, com o personagem passando por diversos inimigos e executando eles de forma rápida.

É surreal para cacete ela desviar de uma metralhadora só no passinho, mas a minha suspensão de decresça abraça totalmente a ideia e só me deixa achar aquilo [email protected]#.

Não discordo de quem achar absurdo demais o “poder” da Chisato.

Sei que talvez para alguns o fato dela não matar os inimigos seja meio frustrante, mas eu acho isso interessante, desde que não comece a criar problemas desnecessários.

Até o momento essa escolha foi justificada, já que a personagem consegue resolver as lutas sem depender de matar os inimigos e, como mostrou no episódio 2, ainda gera efeitos positivos, como os mercenários recompensando sua bondade.

A maioria dos personagens que não gostam de matar fazendo isso por simplesmente ser algo certo, mas o anime parece estar tendo fundamentar as escolhas da Chisato mostrando que existe a possibilidade de diferentes resultados, e que as decisões dela não são apenas para satisfazer a própria moral.

Por fim, temos os conceitos gerais da história.

Não, eu não em esqueci da Takina.

Esses três episódios foram mais voltados em desenvolver a Takina e a sua relação com a Chisato, ao mesmo tempo que introduzia um pouco das questões do mundo da obra.

Como falei no começo, waifu para mim não é problema, então não me importo com elencos full garotas.

Isso não tira qualquer seriedade da história para mim e não me atrapalha em nada em comprar a ideia de que são crianças sendo usadas por uma organização para serem assassinas.

Além disso, esses três episódios levantaram bastante coisas para me deixar curioso sobre o futuro da história.

Takina também tem seu valor.

Eu gostei de como a dependência da Takina foi tratada, mostrando uma “lavagem cerebral” ao ponto de quase aceitar ser culpada por algo que não fez.

Esse tipo de coisa me deixa interessado em saber como funciona os sistemas da AD, porque mesmo a Chisato não tendo essa devoção toda, ela ainda presta serviços para eles e tem que renovar sua licença como qualquer outra.

Somada ao seu passado com o acidente da torre da cidade, parece que tem bastante coisa para ser trabalha em volta dessas organizações e os interesses que elas tem nas garotas.

Pode ser que dê merda e o final desande completamente? Claro, mas por enquanto, Lycoris Recoil está sendo uma grata surpresa dessa temporada.

Extra

Galera do café…

Os personagens principais do café foram os que menos receberam destaque nesses três episódios, mas é provável que vá seguir aquele esquema de um arco para cada um mostrar seu passado e tal.

Marcelo Almeida

Fascinado nessa coisa peculiar conhecida como cultura japonesa, o que por consequência acabou me fazendo criar um vicio em escrever. Adoro anime, mangás e ler/jogar quase tudo.