Oregairu S3 #03 — Impressões semanais

Iroha Isshiki teve mais foco para a felicidade desse que vos escreve (e acredito que para a de muitos leitores também). Ver essa personagem tão divertida ter algum destaque é sempre muito satisfatório e é sobre ela que falaremos nessa primeira parte do texto.

Primeiramente, gostaria de agradecer a todos que compartilharam comigo a opinião sobre as intenções da Iroha no texto passado. Nesse episódio, as coisas parecem mais claras para mim (ou será que não?). Primeiro, eu queria chamar à atenção para algo importante que o Tobe diz no início do episódio: “nós estamos no segundo ano”.

“Ah, mas o que tem de importante nisso?”

Bom, analisando de maneira fria, pelo menos ao meu ver, tira um pouco aquela possibilidade da Iroha estar fazendo esse baile meramente por gratidão, já que de toda forma eles estariam ali no próximo ano também. Posso estar completamente enganado, obviamente, mas deduzo que a Iroha também já percebeu a inclinação do Hachiman para com a Yukino e está tentando ir para o “tudo ou nada”. Ela até comenta sobre ele ser “super protetor” depois que o Hachiman solta um comentário de preocupação referente à Yukinon. Sem falar na decepção que ela deixa nítida quando resmunga com o Hikigaya sobre ele vê-la como uma “imouto”.

Mas de toda forma, seja por gratidão, por interesse amoroso ou por qualquer coisa, é sempre bom ver a Iroha orquestrando algo. Uma coisa que me deixou um pouco decepcionado (em méritos pessoais) foi a ausência de mais reuniões engraçadas como aquelas do evento de natal da segunda temporada, mas isso é só o meu gosto pessoal mesmo. Em suma, eu acho que funciona bastante esse tipo de cena quando a Isshiki está com o Hachiman.

Desculpa, mas só te vejo como irmã kkkk ~

Outro ponto que me chamou bastante à atenção foi a forma do roteiro lidar com o baile. Se o evento de natal esteve próximo de um desastre, esse baile veio como total antítese. Como eu disse no texto passado, essa temática bem “high school americano” de baile é algo relativamente raro no território nipônico (pelo menos nessa alçada da animação). Então, a forma como o Wataru (autor original) trabalhou até que me agradou, porque aborda essa temática, não tão usual com o público de lá, usando do desconhecimento do elenco sobre o assunto.

Graças a isso, temos toda aquela sequência de gravação da promo do baile e ela foi legal pois ao mesmo tempo que explica para os personagens, também passa a informação para o público. Talvez para nós (público ocidental) tenha soado até curioso ver os personagens estranhando as vestes, estilo de música e afins, pois para nós é bem normal… mas lá não é.

Outra coisa que eu gostei bastante foi a composição de cena na hora do teste do baile. Naqueles momentos que as luzes estavam acesas, as cenas ganharam um efeito de luminosidade muito bonito. Que eles mantenham esse bom trabalho no evento principal.

Principalmente na hora das luzes rosas! ~

A Yukinoshita também captou a minha atenção. Primeiro por ela ter me lembrado bastante a Saber vestida de mordomo no Fate/Zero. Segundo por mais uma vez termos um vislumbre de como ela está mais “de boas” se assim podemos dizer. Chegou ao ponto de usar até redes sociais. Parece bobo, mas para personagens do estilo dela é um avanço e tanto.

Sobre a Yuigahama… ela ficou linda na roupa de baile, mas parece que já deixou de lado aquele conflito sobre o Hachiman, o que vejo com bons olhos por hora, mas de toda a forma, a Yui não pode ficar só com uma “dancinha e tudo bem, essa é sua consolação”… espero coisas muito importantes para ela e parece que o próximo episódio vai dar enfoque nisso.

Algo que é importante lembrar, a Yuigahama é muito maior que qualquer ship. Qualquer um na verdade haha… vai a dica aqui, nunca se rebaixe só porque não conseguiu aquela pessoa que você está interessado :). O mais importante é nós com nós mesmos.

Ficou linda! ~

Para encerrar o tópico do pré-baile, eu ri demais quando o Hachiman percebeu o que era “um baile” e a forma que ele se sentiu deslocado. É basicamente eu dentro de uma boate, não consigo ficar bem de jeito nenhum haha… não gosto de aglomerações nem de barulhos ensurdecedores, então provavelmente eu estaria daquele mesmo jeito.

Entendo você bem, meu sábio… kkkkk ~

Alguns outros pontos que não podem ficar de fora do texto: Komachi, Saika e a Sensei.

Começando pela Imouto-san, fiquei feliz por ela ter sido aprovada. Deu ainda mais significância para aquela cena do episódio 1, principalmente na hora que ela abraçou o irmão dela. Confesso que eu ficaria triste se o Wataru seguisse um caminho a la Hajime Komoshida (autor de Sakurasou, Bunny Girl)… o jeito que o Komoshida destrói o sonho dos coadjuvantes é diferente rs. Quem viu Sakurasou sabe bem do que estou falando, mas enfim… ainda bem que não foi o caso da Komachi.

E o Saika, hein? Finalmente deu as caras nessa terceira temporada. Para completar a linha de coadjuvantes que eu gosto de ver em tela, só falta a aparição da Ebina.

Para finalizar, a Sensei parece de mudança e isso já é basicamente um prelúdio de lágrimas para a minha pessoa. Eu gosto muito da personagem, afinal, ela é o alicerce do que o clube de voluntários é hoje. Se não fosse por ela, Hachiman talvez nunca tivesse interagido com Yukinoshita, vice-versa. Se for realmente uma despedida, já tenho que ir preparando-me.

Não estou pronto para isso ;-; ~

Em linhas gerais, um bom episódio no qual muitas coisas de menor proporção aconteceram. Funcionou bastante como uma transição que respondeu a algumas questões e abriu muitas outras, vamos aguardar as próximas semanas.

E vocês, o que acharam desse episódio de Oregairu?

Breno Santos

Estudante, 21 anos, amante de astronomia, café e cultura otaku no geral; além disso, é fascinado por cinema e pelo trabalho executado por uma staff de animação.