BOFURI #05 e #06 — Impressões Semanais

Se existiam dúvidas sobre a Sally e a Maple serem apelonas, acho que elas foram completamente sanadas depois desses dois episódios, que foram bem divertidos, por sinal.

O começo de uma guilda apelona! ~

Bom galera, aconteceram muitas coisas durante o segundo evento, então vou ir abordando ponto a ponto, personagem por personagem, para o texto não ficar muito disperso. Já começando com ela né, a protagonista Maple.

Uma coisa que tenho percebido é que conforme o elenco vai crescendo (e vamos reparando na habilidade dos demais), a Maple acaba sendo uma coadjuvante de luxo no jogo, já que a exigência defensiva é quase nula.

Isso ficou muito claro quando elas formaram a guilda Kaede, e durante um recrutamento, se juntaram as irmãs Yui e May para farmar. Basicamente, a Sally solou o boss e a Maple teve somente uma participação efetiva na batalha.

Resumidamente, com uma força de ataque tão destrutiva na guilda, já que, além da Sally, há também a Kasumi e o Kuromu, os inimigos mais fracos não têm nem a chace de atacar, já que a chance de tomar um critical logo no primeiro turno é altíssima, ou seja, sem ataque do adversário, sem necessidade da Maple se movimentar (a agilidade dela agradece).

Mas isso não significa que a fortaleza ambulante não seja uma ameaça, muito pelo contrário. No evento mesmo isso nos foi provado quando Maple e Sally acabaram em Atlantis e enfretaram o Aquaman um ser marinho gigante. Ela simplesmente envenenou o oceano todo, uma tática bastante inteligente, por sinal (me surpreende a Sally não ter pensando nisso logo de cara).

Exatamente, Sally! O que importa no final são as medalhas suahusa

Saindo da Maple, vamos falar da co-protagonista Sally, que na real roubou bem o espaço de overpower nessas últimas semanas. Tirando a batalha no mar que ela não conseguiu fazer muito, grande parte do sucesso da dupla ficou nas costas de Sally, afinal, aquele ataque dela a um grupo de jogadores, já no final do evento, foi essencial para elas adquirirem mais medalhas.

Também é interessante repararmos que ela ganhou uma skill chamada Swords Dance, que é bem parecida com o movimento de status que há em Pokémon; embora a funcionalidade seja diferente.

This girl is on fire!!! ~ 🎶

Em Pokémon, o que está sendo usado em questão utiliza o movimento durante o seu turno, sem nenhum pré-requisito, dando um buff nos status de ataque. Já a Sally ganha um buff na força, mas essa skill dela é mais como uma passiva, já que o buff vem de cada ataque inimigo que ela desvia.

Em síntese, a Maple e a Sally estão impossíveis de lidar. Eu realmente estou curioso para ver o tal do Payne em ação perto delas para, aí sim, termos uma noção de qual é o “teto de poder” dentro do New World Online.

Continuando, vamos para as outras personagens, começando pela Kasumi, que demonstrou uma velocidade absurda, mas foi counterada pela Sally uma dungeon depois.

Digamos que eu gostei da personagem, e ela realmente é bem forte, mas para vermos ela dando tudo de si, seria necessário alguma quest em que Maple e Sally não estivessem presentes. No farm da guilda foi um grande exemplo, já que a Sally não dava oportunidade para a Kasumi e para o Kuromu fazerem nada.

Foi por pouco, Kasumi! haha ~

A dungeon da areia movediça também serviu para conhecermos mais da personalidade de Kasumi, já que a primeira impressão que ficou foi de uma persona um pouco debochada, porém, vimos que ela é bem tranquila.

Ainda no evento, conhecemos a Kanade, que apareceu pouco na soma dos dois episódios, mas que tem uma habilidade que chamou muito a minha atenção: o Akashic Records. E sim, se você vê bastante anime, já deve ter ouvido esse nome… Rokudenashi.

Mas bem, não tomem isso como uma referência a obra do professor bastardo, já que os Akashic Records é uma teoria bem louca que há por aí, procurem, caso queiram saber melhor.

No anime, essa habilidade dá uma skill aleatória para a Kanade todo dia, ou seja, o que acaba correlacionando um pouco com o Akashic Records original, já que, pelo o que eu vi por alto, isto é tido como o “registro de todo o universo”.

Ou seja, quer dizer que é uma habilidade que, a depender do dia, pode ser bem roubada, ou inútil, já que ela não tem controle sobre o que virá, afinal, pode ser qualquer skill de dentro do universo de NWO, literalmente.

Interessante, Kanade, interessante…

Kasumi e Kanade entraram para a guilda, o que torna o poderio de tal ainda maior. As outras integrantes foram a artesã Iz, e as irmãs que eu citei acima, May e Yui, que são duas Maples, só que versão ataque, já que elas maximizaram este quesito.

Sintetizando tudo isso que eu escrevi, eu gostei das novas personagens e achei esses dois episódios bastante divertidos. Estou interessado para ver como será a dinâmica dessa guilda nos próximos eventos, e quero um desafio um pouco maior pra eles.

E vocês, o que acharam de tudo que aconteceu nessas duas semanas?

Extras:

Uma base bem legal!
Beleza, se elas usarem isso corretamente, vai ser bem interessante
Gigantamax, de Pokémon, chegou oficialmente em Bofuri também hahaha ~
Sally yandere?
Maple upando os pets: momento icônico e hilário!

Breno Santos

Estudante, 21 anos, amante de astronomia, café e cultura otaku no geral; além disso, é fascinado por cinema e pelo trabalho executado por uma staff de animação.