DanMachi II #12 – Impressões Finais | Camp fire

Seguindo a linha da discussão aberta no episódio passado, este último aprofundou ainda mais a situação com mais um personagem que apareceu para dar conselhos.

Para começar, fiquei surpreso de Hestia, Bell e Aiz já estarem a salvo logo no início, particularmente, eu esperava por um episódio survival ou algo assim, mas eles já estarem no vilarejo foi bacana.

Vamos spamar Aiz de camponesa, clã! ~

Analisando mais friamente, foi um episódio com uma carga emocional maior, mas vale ressaltar que essa carga só funcionou para quem realmente se importa com o relacionamento do Bell com a Hestia.

Há muitos adeptos a esse ship, mas há muitos que também não são, enfim, deixando o clubismo de lado, a presença do Karm – ancião do vilarejo – foi fundamental para o Bell enxergar as coisas com mais clareza.

Eu gostei de como o roteiro trabalhou com isso, apesar de eu ser um adepto de “Bell x Aiz”, não gosto de ver a Hestia sendo desperdiçada como puro alívio cômico, e essa abordagem com mais seriedade me agradou bastante.

De fato, como já dito pelo Miach e pela Hephaistos no episódio anterior, os deuses vivem mais, e os humanos acabam sendo meros passageiros na vida deles. Contudo, a Hestia conseguiu provar com as suas palavras, em uma cena bem bonita aliás, que nem a morte impediria ela de achar o Bell e chamá-lo para sua família.

Eu sei, é clichê, é um pouco piegas, mas foi bonitinho, funcionou, ao menos para mim. Vale ressaltar também que é um ponto importante na vida do próprio Bell, pois me parece que ele finalmente vai olhar a Hestia com mais igualdade – pelo menos é o que deu a entender.

Para encerrar esse ponto dramático, a cena da Hestia consolando o ancião – na qual ela parece ter virado a deusa Brigid – foi um belo gesto simbólico, talvez até uma alucinação final do Karm, lembro de alguém comentando comigo sobre a Hestia ser ela talvez, mas não acho que seja o caso.

A cena ficou bem bonita!

Inclusive, como eu já vendi no título, tivemos até uma dança na fogueira no festival do vilarejo, foi coisa rápida, mas bacana de ver também. Não acho que seja o ideal para um término de temporada, mas está valendo.

A Aiz também marcou uma tímida presença, e tenho que ressaltar que ela de camponesa ficou mais bonita ainda, mas tirando uma cena específica, não teve muita relevância, com ou sem ela o episódio funcionaria da mesma forma.

Eu diria que o único ponto perceptível sobre a Aiz foi ela encarando com certa ira – ela demonstrando sentimentos, que raridade – as escamas do dragão negro, achei interessante e muito provavelmente deve ser algo relacionado com alguém importante para ela.

Aiz com raiva ~ Uoou

Em linhas gerais, foi um último episódio que provavelmente não deve ter agradado tanta gente. O que alivia um pouco é o fato de já termos uma nova temporada confirmada.

Apesar daquela sensação de final anti-climático, pelo menos, tiramos um saldo positivo de que o J.C. Staff continua olhando para DanMachi com carinho e de que o Bell – finalmente – desponta para um crescimento emocional.

Rápida resenha sobre a segunda temporada 

Eu não diria que foi melhor que a primeira se formos olhar individualmente falando, mas se observamos o projeto como um todo (já incluindo a terceira temporada) dá para relevar. O Tachibana mostrou uma boa direção nas cenas de ação durante o arco do war game, mas sua participação foi bem comum e passou despercebida durante os momentos mais lentos do arco da Haruhime.

Apesar disso, o estúdio J.C. Staff, mesmo com outros três projetos só nessa season, conseguiu entregar algo de qualidade quando exigido, mostrando que continua olhando com certo apreço para o anime do Bell.

Relembrar é viver, Mikoto sendo fofa! Haaaa ❣❤

Tivemos também acertos e erros com relação a inclusão de personagens. A Mikoto entrou muito bem, ao menos para mim, ela chama mais atenção que a Lilisuke. Entretanto, tivemos uma forte ausência da Ryuu interagindo com o Bell (uma personagem adorada por muitos) e também uma introdução sem mais nem menos da Naaza, que é uma personagem que deveria ter sido introduzida na season 1, mas ficou oprimida pelos rushs.

Tirando esses pontos, eu diria que a obra continua ok, traz alguns ótimos momentos, irrita a gente um pouco em outros, mas cumpre o que propõe.

Nota final para a segunda temporada: 7/10 

Twitter: @brenosantosp – essa semana estarei lá com uma enquete sobre textos da próxima temporada, quem quiser votar, fique a vontade.

Breno Santos

Estudante, 21 anos, amante de astronomia, café e cultura otaku no geral; além disso, é fascinado por cinema e pelo trabalho executado por uma staff de animação.