DanMachi II #08 – Impressões Semanais

Após algumas semanas, voltamos a ter uma sequência de luta bem feita, apesar de ter durado pouco tempo, e se os primeiros minutos de episódio começaram agitados, os seguintes foram preenchidos com muita informação, bizarrice da “sapona” e discurso moralista de protagonista. 

Tá repreendido!

Foi o ponto “pesado” do episódio, se assim podemos dizer

Começando pelas informações, foi bom saber sobre a tal pedra da morte e qual a motivação da Ishtar em usar ela, aliás, bem roubado esse poder da Haruhime (é disso que o povo gosta). Além disso, a participação da Aisha no plot da pedra também apareceu, mas em um momento estranho. 

É sempre interessante saber o que motiva as personagens, e realmente eu havia ficado curioso depois de ver a Aisha sendo “amistosa” com a Haruhime episódio passado, entretanto, aquele flashback dela em terceira pessoa foi um pouco anti-climático, pelo menos para mim. 

Como eu disse, é importante saber sobre as motivações, mas no meio de uma iminência de embate tira a expectativa. Talvez essa explicação dela se saísse melhor depois em uma conversa com a Haruhime ou até mesmo com o Bell em outra oportunidade (pois muito provavelmente ela vai virar a casaca, reitero isso).

O ponto positivo foi que essa “interrupção” serviu para impactar o Bell, mostrando que ele não é “homem o suficiente” para salvar a renard, a propósito, o grande efeito disso vai ser o já esperado crescimento dele como personagem. 

Discurso moralista chato e padrão de todo protagonista bonzinho. Por isso, prefiro anti-heróis xD, mas o Beru-kun é legal também

Sinceramente, sei que esse passing mais lento de adaptação possibilita que mais coisas do material original sejam empregadas (e o quanto isso é satisfatório para os leitores), mas se era para ser lento, então o War Game tinha que ter seguido a mesma linha, justo, não? 

Outro ponto curioso é essa instabilidade no passing de adaptação, começa rápido, agora está lento, e depois? Particularmente, não aprecio esse tipo de irregularidade, acho que o ideal seria um meio termo, não ir aos extremos é algo que eu julgo essencial para manter o interesse do público sempre alto. 

Em linhas gerais, foi um episódio ok, importante pelas informações, com uma boa (apesar de pequena) sequência de luta, mas com algumas conveniências de roteiro estranhas, como a Mikoto chegar – exatamente – à sala em que os documentos sobre o ritual estavam (sem mencionar que eles eram os primeiros papéis em cima da mesa). 

Joga na loteria, minha filha, tu é sortuda!

Apesar disso, tenho confiança de que virão coisas boas a seguir, mesmo depois de toda essa espera. 

 

Breno Santos

Estudante, 21 anos, amante de astronomia, café e cultura otaku no geral; além disso, é fascinado por cinema e pelo trabalho executado por uma staff de animação.