Shogun 2: Total War | Análise

Do nascimento até a queda dos samurais, Shogun 2 : Total War é um dos melhores jogos de estratégia que esta velha franquia da Sega pode oferecer. O jogo base, Shogun 2 traz para os amantes de história e cultura japonesa o cenário conflitoso e tempestuoso do Sengoku Jidai, período de guerras que antecederam o xogunato Tokugawa.

Além disso, a DLC , Rise of the Samurai, e a expansão, Fall of the Samurai, adicionam os cenários das Guerras Genpei  e que deu origem a classe dos samurais e a Revolução Meiji que coloca fim a existência dessa elite militar e inicia a era imperial japonesa.

Quando o jogo facilita a minha vida eu agradeço

O jogo particularmente é um dos meus preferidos por conseguir resgatar elementos antigos do jogo clássico, ao mesmo tempo que adiciona características novas: como toda a diplomacia ser realizada em um painel ao invés de ser necessário criar um emissário e enviá-lo a outro clã para tentar tratados comerciais e alianças com seus adversários.

Além disso, os tributos também são geridos em um painel financeiro com as taxas de impostos sendo autogardas de forma geral para todas as províncias (apesar do jogador também poder isentar determinada província de impostos).

O que facilita um pouco a vida administrativa do nosso Damyou já que seria mais complicado gerir os impostos de cada província conquistada individualmente e o jogo não é um dos mais fáceis de serem geridos e jogados.

Tocando em dificuldade, este título possui um gameplay um pouco complicado para iniciantes, mas não impossível de ser aprendido, já que o jogo te dá todo um suporte para conhecê-lo detalhe por detalhe.

Com pequenos textos informativos e animações que também são narradas sobre cada elemento que você encontrará, desde características sobre as unidades, até as funcionalidades dos painéis que você utilizará para administrar seu clã e campanha militar.

Além disso, o jogo possui uma enciclopédia in game que pode ser consultada a qualquer instante, caso o jogador tenha duvida sobre a funcionalidade de uma construção, ou unidades militares.

Consultar a enciclopédia faz bem para jogadores iniciantes

Ademais, o jogo também possui um  tutorial completo: com batalhas para nível iniciante, intermediário e avançado que te ensinará o básico de como administrar teu exercito em batalhas em tempo real.

Sendo um jogo riquíssimo e belo nos detalhes do gameplay, que expressam fortemente a cultura japonesa, como o ritual de seppoku após a destruição de um clã e a arte incorporada a interface do jogo, que referencia as iluminuras medievais japonesa.

Como a diversidade de estratégias que podem ser utilizadas durante o desenrolar de uma batalha em tempo real, já que o jogo te oferece total liberdade de utilizar as formações disponíveis para seu exercito da melhor maneira que lhe apraz para atingir seu objetivo: a vitória em meio a um campo de guerra vivido.

Economia, construções e gerenciamento de cidades

A espinha dorsal da economia em Shogun 2 é a agricultura, o que corresponde a realidade, já que naquele período toda a riqueza gerada vinha da produção do campo, sendo mais especifica, do seu principal produto, o arroz.

Então a província é seu elemento chave no gameplay. Quanto mais províncias você obter e desenvolver, mais riqueza você irá gerar para o recrutamento de tropas avançadas (samurais e heróis) que são mais caras.

Além disso, todo o recrutamento de tropas é feita no Castelo da província. Sendo que temos o Castelo como principal elemento da província, além das plantações que sempre devem ser melhoradas.

Então em Shogun, você obterá dois tipos de construções: as do castelo, e as da província, como o porto que não pertencem ao interior do castelo, mas faz parte dele, já que a província pertence ao castelo.

As construções do jogo também podem ser agrupadas em dois tipos de construções: as com bonificações civis e as com bonificações militares. Em suma, o jogo possui uma árvore de tecnologia dividida em dois ramos: civil (Way of Shi) e o militar (Bushido).

Sempre tente evoluir as duas árvores da forma mais equilibrada e útil possível

Sendo que algumas construções só são habilitadas após pesquisar determinadas tecnologias ou conhecimentos nesta árvore. O mercado, por exemplo, que traz bonificações civis como aumento das arrecadações vindas do comercio e o recrutamento de Metsukes (uma policia secreta do shogun) é adquirido com a primeira pesquisa de Way of Shi .

As províncias também podem ter recursos estratégicos que dão bonificação, ou permitem o recrutamento de unidades especificas que precisam deles, como cavalos ou incenso.

Com cavalos você pode recrutar outras unidades montadas além da cavalaria ligeira, e o incenso é essencial pra recrutar monges guerreiros, como os monges com naginata.

Outro aspecto importante do jogo ligado ao gerenciamento das províncias é a felicidade da população. Cada província possui um painel no qual você pode pesquisar a satisfação da população e a riqueza gerada nela com mais detalhes (e onde você pode isentá-la de impostos).

É sempre recomendado prestar atenção na felicidade da população, já que, com o aumento da infelicidade, é propicio a ocorrência de revoltas, o que pode prejudicar a sua campanha militar, já que terá que extinguir ela ou correr o risco de perder a província.

Tente manter a população controlada, ou sofra as consequências em alguns turnos

Então a ordem pública é outro elemento chave em seu gameplay e manter algumas unidades de combate estacionadas para preservar a ordem e evitar possíveis tomadas da cidade sem resistência é uma boa recomendação, já que a cidade ser ocupada por tropas aumenta a repressão e mantém a população quieta.

Unidades, batalhas terrestres e batalhas navais

Shogun não apresenta uma diversidade tão extensa de unidades militares e maquinas de cerco como outros títulos da franquia , mas não quer dizer que não tenha uma boa variedade e nenhuma distinção entre elas.

O  exercito no jogo gira em torno dos samurais e você possui alguns tipos de samurai a sua disposição como yari samurai ( samurai com lança), samurai com espada e samurai arqueiro, além de cavalaria samurai com yari, arco ou espada.

Isto porque eles possuem uma moral mais elevada e atributos de resistência maior que os ashigaru (empregados diretamente da população e com experiência e armadura inferior), contudo, obviamente são mais caros para se criar e manter.

E uma coisa particularmente interessante, e que gosto em toda a franquia total war em si, é que estas unidades vão upando de acordo com seu progresso em batalhas com elas, ou seja, ganhando mais moral e experiência.

Além dos ashigarus e samurais, o jogo possui outras unidades, como os monges guerreiros que também possuem status interessantes de resistência e moral (assim como os samurais) para se ter em seu exercito, principalmente se o clã escolhido tem bonificações para a criação deles como custos reduzidos de manutenção e recrutamento.

Além dessas unidades utilizadas diretamente em combate, o jogo apresenta os agentes que são unidades recrutadas para execução de trabalhos específicos como os Matsuke, Ninjas e Monges (ou um missionário se você for cristão).

Assassinato, espionagem e sabotagem – Ninjas são <3

Estas unidades dão mais diversidade ao gameplay, já que ampliam as suas opções e estratégias dentro da campanha, já que com um ninja, por exemplo, você pode sabotar a porta de um castelo, ou assassinar generais inimigos, deixando o exercito com uma moral mais baixa antes de enfrentá-lo pela falta desse general.

O gerenciamento das batalhas pode ser um pouco estressante no inicio, já que realmente o jogador tem que cuidar de todo um exercito com centenas de unidades e não pode se descuidar em nenhum dos flancos, já que qualquer erro é realmente um caminho direto para a derrota.

Pois a inteligência do jogo é bem desenvolvida (apesar de não ser perfeita e cometer umas burradas aqui e ali) e qualquer descuido no posicionamento pode significar a perda de dezenas de samurais ou ashigarus ( que não são baratinhos).

Por exemplo, a IA explora bem os terrenos. Se houver uma colina próxima, ele  investirá com suas unidades nela, organizando suas tropas em uma boa formação defensiva com arqueiros na linha de frente, que dizimarão seus lanceiros (yari samurais ou yari ashigarus) se mandá-los de frente a eles em um terreno mais baixo.

Além disso, a IA também pode fazer emboscada, ocultando exércitos em uma floresta ou atraindo seus exércitos para perto de um exercito auxiliar, então tome muito cuidado.

Mas as batalhas, apesar de complicadas no inicio, são um dos maiores atrativos dessa franquia, por ter cenários vividos, com uma variedade de terrenos, desde lagunas, campos abertos, até confrontos em cima de uma ponte, ou um cerco a um castelo ou cidadela.

Cada terreno possuindo, portanto, suas particularidades e pontos estratégicos para serem usados e explorados pelo jogador. Cabendo ao jogador observar o mapa mostrado na parte superior  da sua tela  e onde os exércitos estão sendo spamados antes de se direcionado para seus inimigos.

Já que dessa forma, ele poderá decidir melhor seu possessionamento de tropas e movimentos para minar as estrategias e avanços do inimigo. Estes cenários também acabam sofrendo modificações na vegetação de acordo com o a estação do ano em que você empreende uma batalha.

Cada batalha é única e apresenta cenários diversificados

Além de ter outros elementos que podem tornar a experiência mais estimulante e diferenciada a cada empreitada, como a meteorologia que possibilita a criação de batalhas em tempo chuvoso, seco, com neblina, etc.

Semelhante as unidades terrestres, as navais também não possuem uma variedade tão grande, apesar de possuirmos embarcações mais pesadas ou leves, com unidades corpo a corpo ou de ataque a distancia, como barcos apenas com a maioria das unidades sendo arqueiros.

Contudo, o sistema de batalha naval de total war, diferente do terrestre, ainda precisa ser bem melhor desenvolvido, já que muitas vezes você passa horas em uma brincadeira  de gato e rato tentando uma abordagem de navio, do que realmente efetuando uma, ou afundando navios inimigos com bombas incendiárias.

Campanhas e Cenário histórico

A principal campanha do jogo, Shogun 2 se passa no século XVI, no Sengoku Jidai. O país está dividido entre clãs rivais, liderados por um Daimyo, cada um lutando pelo controle de mais territórios a fim de destituírem o xogunato Ashikaka e se tornarem o próximo Shogun .

O jogador incorpora o papel de um desses Daimyo, com o objetivo de dominar os outros clãs, disseminando seu poder sobre o Japão. A versão normal do jogo apresentará oito clãs: Shimazu, Mori, Takeda, Oda, Tokugawa, Date, Hojo, Chosokabe e Uesugi

Cada clã começando numa posição do mapa e com forças militares e políticas diferentes, além de apresentarem uma dificuldade diferenciada de gameplay por causa disso (os Oda por exemplo, começam no meio do Japão e cercado de rivais, então é difícil jogar inicialmente com eles).

Mas em comum, independente do clã (em exerção dos Hojos que começam com duas)  o jogador inicia com a posse de uma província e deve conquistar seus adversários próximos e expandir.

Se divirta se tornando shogun e mudando a história do Japão

Os requisitos para vencer a campanha é dominar determinado número de províncias (que muda de acordo com o tipo de campanha: curta, longa e dominação), sendo obrigatório dominar inclusive as que pertenceram ao clã historicamente e ficar em posse de Kyoto por um determinado número de turnos até a data estipulada (que muda com o tipo de campanha).

Os clãs Ikko-Ikki (monges rebeldes), Hatori (ninjas) e Otomo (católicos com armas de fogo) podem ser jogáveis ao adquirir as DLC’s dos respectivos clãs. Não é necessário tê-los, mas fica de opcional ao jogador se ele quiser jogar com uma variedade maior de clãs.

Nota: Quem venceu esta disputa originalmente foi a aliança Oda-Tokugawa. Oda foi assinado por Akechi Mitsuhide e quem governou foi Hideyoshi até sua morte, quando Tokugawa assumiu.

Já a campanha Rise of the Samurai, que é opcional e adquirida por uma DlC, se passa no período Heian que antecedeu o Sengoku Jidai, durante as Guerras Genpei (especificamente as disputas entre  1180-1185) entre os clãs Taira e Minamoto.

A guerra de Genpei culminou  na ascensão dos samurais como uma classe dominante. Novamente, o jogador incorpora o papel do líder de uns dos 6 clãs disponíveis (que na verdade são três, já que o que temos é a ramificações dos clãs que participaram deste conflito).

Os clãs disponíveis são: Kamakura Minamoto, Kiso Minamoto, Yashima Taira, Fukuhara Taira, Kubota Fujiwara e Hiraizumi Fujiwara. Cada um com suas características políticas e militares, mas diferente de Shogun 2, você não é rival de todos os clãs, mas começa com um aliado a seu lado.

Vivencie o nascimento dos samurais e do primeiro shogunato

Pelo período ambientado, ela apresenta unidades mais rudimentares de samurais e agentes diferentes para serem empregados no gameplay como o Shirabyoshi, que usa a arte da sedução para distrair exércitos inimigos ou convencer generais a se unirem à sua causa.

Além disso, a DLC oferece uma nova árvore de tecnologia e construções, criando praticamente outro jogo dentro do jogo.

Nota: A consequência direta desta guerra civil foi a vitória do clã Minamoto e a queda do clã Taira e permitiu o estabelecimento do primeiro xogunato na história japonesa, o Kamakura, encabeçado por Minamoto no Yoritomo.

Enquanto a campanha Fall of the Samurai, adquirida ao comprar a expansão, o jogo te imerge na revolução Meiji, com um Japão sendo ocidentalizado e com um árvore de tecnologia militar mais voltada para a utilização da pólvora e armas de fogo mais eficientes.

A campanha apresenta um território divido e sobre a influência das civilizações ocidentais no seu território ( ingleses, americanos e franceses), contanto inicialmente com 7 clãs jogáveis: Jozai, Aizu e Nagoka (Shogunato) contra Tora, Choshu, Satsuma e Tsu (Império).

Lute pelo shogunato ou levante-se gloriosamente com o Império

Sendo que os clãs: Obama , Sendai e Saga também são jogáveis via DLC , caso o jogador opte por ter mais opções de clãs para seu gameplayer. Mas a cereja no bolo dessa campanha é a resistência a modernização.

Quanto mais modernizamos nossas províncias, mais a população enraizada em um tradicionalismo forte começa a ficar insatisfeita, sendo então necessário um equilíbrio entre a modernização e a ordem pública.

Nota: A revolução Meiji pós fim ao poder do shogunado e iniciou a modernização do Japão. O lado originalmente vencedor foi o que apoiava o Império, principalmente mediante o apoio estrangeiro.

Modo Multiplayer e Batalhas Históricas

Shogun 2 possibilita você jogar a campanha com os exércitos inimigos sendo comandados por um jogador real ao invés da IA, customizar batalhas aleatórias ou empreitar o modo avatar conquest. Neste modo você vai criar e customizar o seu avatar de jogador que obviamente é o general de seus exércitos no jogo.

Na customização inicial não aparecerá muitas opções para você e seu exercito, mas de acordo com o nível que você vai adquirindo na progressão do jogo, poderá customizá-lo melhor.

Além de ganhar novas unidades e destravar habilidades para o seu general que bonificaram teu exercito e que vem na forma de cards que você pode selecionar na tela de personalização da batalha antes de iniciá-la.

Crie e vá personalizando o seu grande general

Um detalhe legal deste modo é que conforme você for vencendo batalhas, suas unidades veteranas vão ter a opção de serem customizadas por você, selecionando o nome da unidade que você quer customizar.

Após a criação do general, o jogador vai selecionar uma região do mapa do Japão para começar e que será sua província. Cada província correspondendo a um jogador e caso queira conquistá-la é só selecioná-la e empreender a  batalha.

Você pode escolher por uma batalha pré-definida, aonde o computador vai fazer uma busca de outros jogadores com o mesmo nível que o seu para  batalhar contra você, ou pode escolher em selecionar uma batalha, aonde abrirá uma janela de lobby mostrando todos os players presentes naquela região e selecionará um player/host ou criará seu host.

Contudo não indico muito este modo para iniciante, já que o jogo não te fornece tanta ajuda além dos tutoriais iniciais para compreendê-lo e exige um conhecimento maior com a batalha em tempo real,  já que o nível dos jogadores costuma ser de intermediários a avançados.

Conquiste o território de outros jogadores e expanda as suas fronteiras

Mas para pessoas com um conhecimento mais moderado ou extenso, pode ser uma boa opção para fugir do modo campanha e desafiar suas habilidades com outros jogadores enquanto empreende uma dominação.

Outra opção para fugir do modo campanha além do Avatar Conquest, são as Batalhas históricas, já que shogun 2 oferece DLC’s que revivem alguns eventos (batalhas) que marcaram tanto o Sengoku Jidai, quanto a Revolução Meiji, e definiram, em conjunto, o rumo que o Japão tomaria.

Atenção nos detalhes: jogo é difícil , não impossível

Shogun 2: Total War é considerado por muitos um jogo difícil e não recomendado para jogadores iniciantes, porém eu discordo, ele possui uma dificuldade maior, mas não é impossível de ser jogado por pessoas inexperiente.

O segredo está basicamente nos detalhes, o jogo apresenta muitas informações e logo de cara pode te deixar perdido, mas ler é o segredo para compreensão de como o gameplay funciona e como você irá gerir ou efetuar determinada ação.

Para isto, use e abuse da enciclopédia in game e, caso tenha duvida sobre uma unidade ou construção, basicamente, apenas leia. Cada coisinha na descrição de uma construção, ou unidade, é essencial para o desenvolvimento de seu exercito e província.

Em batalha, não se perca no caos, tente manter o maior controle possível sobre suas unidades e antes de tentar uma abordagem diferente em uma situação, sempre faça aquele save maroto.

Além disso, não se ache um Oda Nobunaga logo de cara, erros são comuns para aprender a jogar Shogun e perder uma campanha não é o fim do mundo. Realmente leia e pesquise e você verá que o jogo não é tão complicado como parece, apenas complexo.

Avaliação

Jogabilidade – 9/10

Cenário e ambientação histórica – 10/10

Trilha sonora – 9/10

Gráficos – 8/10

Arte conceitual – 9/10

Nota do autor

E você, que nota daria ao jogo?

Nota dos Visitantes
[Total: 14 Média: 4.8]

Sirlene Moraes

Apenas uma amante da cultura japonesa e apreciadora de uma boa xícara de café e livros.