Mahou Shoujo Site é alvo de denúncias por conteúdo violento no Japão

O comitê de vigilância da mídia japonesa, BPO (Broadcasting Ethics and Program Improvement Organization), emitiu um relatório com uma série de denúncias enviadas à agência em abril deste ano. Entre as denúncias apresentadas, uma delas está, provavelmente, destinada ao anime Mahou Shoujo Site.

A queixa menciona um anime exibido de madrugada que inclui “agressão a estudantes do ensino médio e violência sexual” e afirma que este anime “apresenta uma cena que encoraja o bullying”. Segundo a denúncia, tais representações podem reafirmar atos criminosos cometidos por menores de idade e como um programa transmitido em rede pública, o conteúdo deixa o público desconfortável.

Produzido pelo estúdio production doA, Mahou Shoujo Site começou a ser exibido no Japão em 6 de abril. A personagem principal, Aya Asasgiri, está sujeita a múltiplos incidentes de violência e abuso sexual ao longo do primeiro episódio.

Vale ressaltar que Mahou Shoujo Site foi recentemente removido da Youku, um site de streaming chinês. As pesquisas do cache do Google afirmam que o site transmitiu apenas quatro episódios do anime. Os sites de streaming da China foram penalizados no passado por exibirem séries animadas que contêm violência e pornografia. As regulamentações no país, que entraram em vigor em 2015, exigem que sites de vídeo busquem permissão para transmitir mídia estrangeira, e sites que não o fizerem serão proibidos de transmitir qualquer mídia.

Como as reclamações anteriores ao BPO, o título do programa denunciado não foi mencionado. Outros animes que receberam uma queixa da mesma empresa no passado incluem Owarimonogatari, Shimoneta, Chibi Maruko-chan, Gintama, Kantai Collection, Yu-Gi-Oh! Arc-V, Akame ga Kill, Shigatsu wa Kimi no Uso, Hunter x Hunter, Blood-C, Fullmetal Alchemist, School Days, Magi, Higurashi no Naku Koro ni, Pokémon e NANA. 

Fonte: ANN

Relacionado: