Impressões semanais: Mekaku City Actors Episódio 4 – Kagerou Days –


Bem, isso foi estranho.



Kagerou Days foi uma das músicas mais importantes pro projeto em termos de popularidade, apesar de para plot não ter uma relevancia tão maior que as outras músicas. Foi a primeira a que passou os um milhão de views no Nico Nico Douga (considerem que o site precisa de registro para visualizar os vídeos e é mais fechado pro Japão) e foi a segunda que eu ouvi (a primeira foi Mekakushi Code). Pena que o episódio não teve o mesmo impacto.



Kagerou Days foi uma música não conhecida pela música em si, mas pelas possibilidades de interpretação, e o episódio segue a mesma linha, ou seja, é confuso pra caramba (nem tanto para quem acompanha o material original ou as outras mídias). Até ai tudo bem, é algo tirado do orginal, mas o episódio sofreu de um problema de execução. Não por parte da Shaft, mas sim pelo próprio Jin.



Apesar das economias, achei essas paisagens bem [email protected]

Muito se tem críticado sobre a Shaft animar o anime e a impossição do estilo do Shinbo sobre o mesmo, mas a verdade é o contrário, o estilo do original é que se sobrepõe sobre a Shaft. Eu já havia comentado quando anunciaram o anime que Shaft era o estúdio com estilo mais próximo da animação dos PVs originais e que mais conseguiria dar duplo sentido à diversas cenas assim como as próprias letras faziam (esse episódio não foi exeção), logo era o melhor estúdio para o projeto. É lógico que o problema da animação pobre existe, mas a história cobra mais desses dois quesitos que coisas como fluídez de animação. Não é atoa que o próprio Jin resolveu escolher o estúdio.

A derrapada foi do Jin, que nesse episódio não conseguiu o impacto que deveria dividindo o episódio em duas metades (a primeira, bem estilo slice of life e a segunda, um belo WAT) de uma maneira harmoniosa. Não houve um bom uso do tempo e o roteiro soou muito mecânico para conseguir dar emoção. Existe o crédito de dar as pistas para o que vai acontecer (principalmente na primeira metade), mas no geral não ficou muito bom. Um pouco mais de refinamento nesse ponto (aqui vale pra Shaft também) poderia ter resolvido. Agora, só espero que isso não reflita no resto da série.

EXTRAS:


Best boy? Best boy. Até iluminado ele é.

O uso do fundo de uma só cor predominante é bem interessante, na minha opinião. Aqui a associação do branco com a morte (assim como o corvo) ficou bem clara.
Gatos também são usados como símbolos de morte, desastre e principalmente, azar. Aqui deu pra notar outra coisa.
E NA SEMANA QUE VEM:
Showtime Loudspeak Pole
Me falaram que é uma faixa do CD, só com narração, sem insert song então? :<