Kaguya-sama: Love is War S2 #09 — Impressões semanais

Muita gente vinha pedindo dancinha e ela chegou! Tudo bem, não foi na ending e não foi com a Chika, porém, tenho que admitir que eu gostei bastante da performance da Shinomiya.

Kaguya dance ❣❤ ~

Dei uma pesquisada para ver se achava o responsável, mas até o momento da escrita desse texto, não consegui achar a informação correta. Naoya Nakayama, o animador responsável pela Chika dance, foi creditado no episódio e esteve muito presente na primeira esquete, mas ainda não tenho certeza se ele foi o responsável pela Kaguya dance também. O que sei de fato é que aparentemente foi rotoscopia novamente. De qualquer forma, a dancinha dela foi um dos pontos fortes desse episódio, trazendo uma leve sensação de nostalgia para quem se sentia desprovido de dancinha nessa season.

As referências também continuaram em cheio nesse episódio. A criatividade da staff que trabalha junto do Hatakeyama é algo que engrandece muito esses pequenos detalhes e, particularmente falando, é bem legal ver as referências — mesmo eu não sendo tão bom em captá-las de primeira.

Sem dúvidas, a mais notável para mim foi a referente a Peanuts (Snoopy e Charlie Brown), os tradicionais quadrinhos de Charles M. Schulz que marcaram a minha infância.

Peanuts respira! ~

O pessoal da staff ainda mandou muito bem na sequência em que a imaginação fértil da Miko ganhou vida. Toda aquela jogada de cores e de câmera deixou a imersão na louca ideia da auditora ainda melhor. Sem falar na constante mudança no Aspect Ratio (proporção de tela), abusando do 21:9 (proporção cinematográfica) para dramatizar as cenas de imaginação da Iino e até fazendo uma sátira com a proporção Classic TV (4:3) na cena em que a Iino pega a bola de Rugby. Esse tipo de proporção era muito comum nos animes de esporte antigos.

Não posso me esquecer daquela sequência feita como se Kaguya e Shirogane estivessem em um game; algo que para mim esbanjou criatividade também.

Hahahaha muito criativo!

A composição das cenas foi a parte mais admirável no episódio. Os layouts e a iluminação estavam absurdos. O estilo de luz do episódio, inclusive, foi bastante natural, o que deixou ainda mais marcante algumas composições de cena.

Para quem não está acostumado com o termo, layout basicamente é onde a cena nasce. É um escopo mais rico, bem mais detalhado que um storyboard e cheio de informações para os animadores e para o time de background art. A cena final é proveniente da junção do trabalho do animador com o do time de background e isso só sai com qualidade se bons layouts (com as proporções ideais de personagens e objetos) estiverem no projeto. Lembrando que depois disso ainda entra o trabalho do time de fotografia, o que completa a composição.

Ótimo exemplo de layout! Tente ver como se a parte das luzes fosse uma folha por cima das personagens
Posicionamento de câmera e iluminação 10/10. Tentem ver cenário e personagens de uma forma separada e vão entender isso melhor ~

Agora vamos para os méritos de enredo, mas antes, vocês perceberam que a participação do Shirogane foi bastante tímida? E a Chika que nem apareceu fisicamente (só em cameo)? Admito que esses dois fazem falta, mas é legal ter uma dinâmica com os outros personagens também.

A primeira esquete focou em Miko Iino e seus devaneios, enquanto Kobachi Osaragi, sua melhor amiga, tentava por um pouco de sentido na cabeça dessa menina hiperativa. A melhor parte foi a Miko imaginando a Kaguya como uma vilã — hilário!

A cena que a Miko lembra sobre o fundamental é muito importante, mostrando mais um pouco do background da moça, não é atoa. Vocês repararam que o nome da esquete é: “Então, Yu Ishigami fecha os seus olhos pt. 2” e ele não apareceu? Em primeira instância, achei que fosse erro da legenda, mas não. A propósito, minha teoria é de que esse guri do fundamental é o Yu, nada é por acaso nessa obra.

Em méritos de tabelinha, a Kobachi merece 3 pontos pela força mental que tem. Ela é para a Miko o que a Hayasaka é para a Kaguya (e aguenta maluquices parecidas), guardada as devidas proporções, logicamente. Miko Iino saiu derrotada no anúncio do narrador, logo, sai zerada aqui também.

Proporção de tela em 21:9 para a dramatização das cenas da Miko.
Proporção de tela em 4:3 satirizando a estética dos animes de esportes antigos – bem como da TV antiga também.

Na segunda esquete, é importante notarmos algumas coisas. A primeira delas é que o Shirogane se mostrou bastante incomodado com a distância imposta por Kaguya depois dos acontecimentos do hospital e do depósito. Achei interessante essa abordagem mais incisiva na mudança de sentimentos dele também, já que isso vinha sendo algo muito mais focado na Shinomiya.

O segundo ponto é o conhecimento absurdo que Ai Hayasaka dispõe a respeito de psicologia. Já na primeira temporada ela tinha dado uma aula sobre Freud e nesse episódio a menção dela sobre os rituais reforçou ainda mais isso.

E por fim, o terceiro ponto foi a comédia, mesmo com o conflito sendo mais sério. Deixo um destaque para o golpe finalizador da Kaguya e para suas especialidades em artes marciais. Em méritos de tabelinha, por sinal, Shinomiya leva 4 pontos — pela finalização e pela dancinha, claro. Shirogane, derrotado e sem sucesso, zera e não leva nada. Hayasaka fatura 3 pontos por, mais uma vez, demonstrar um conhecimento e um auxílio absurdo.

Okawaii koto! ~

A esquete final começou a nos vislumbrar com o tão esperado passado do homem, da máquina, da besta enjaulada… Yu Ishigami (apesar de eu achar que começou realmente desde o flashback da Iino). Durou poucos segundos, mas aquela lembrança dele sobre as torcidas já me deixou preocupado com o que vem por aí — deve ser pesado. Outro fator que tenho que destacar aqui é a relação de amizade entre Kaguya e Ishigami… caramba, eu gosto muito das interações dos dois, principalmente nesses momentos mais sérios. A maneira como a Kaguya o observa é diferente daquele senso comum deturpado que vimos no “Yu Ishigami fecha os seus olhos parte 1”.

Logicamente, a tabelinha agracia os personagens aqui também. Yu Ishigami fatura 4 pontos pela iniciativa e pela não estagnação. Admirei bastante a coragem dele, afinal, o rapaz não deixou o passado influenciar na hora de tomar a decisão de entrar para o pessoal da torcida. Já a Kaguya leva 3 pontos pelas coisas que eu apontei no parágrafo anterior. Só o fato dela enxergar o Ishigami como uma pessoa normal, sem se importar com o que as pessoas dizem dele, já me deixa muito feliz.

kkkkkkkkkkkkkkkkk ~

Campeonato brasileiro A guerra de Kaguya contra Shirogane (e os outros) S2 – 9ª edição

Pos. Personagem PG C V E D
1 Kaguya Shinomiya 7 3 2 0 0
2 Yu Ishigami 4 1 1 0 0
3 Ai Hayasaka 3 1 1 0 0
  Kobachi Osaragi 3 1 1 0 0
4 Miko Iino 0 2 0 0 2
  Miyuki Shirogane 0 2 0 0 2

Na Alemanha, o Bayern já é o virtual campeão da temporada e aqui parece que as coisas caminham iguais: ninguém segura a Kaguya Shinomiya. É o 4º Scudetto dela. Ai Hayasaka, Miyuki Shirogane, Yu Ishigami, Miko Iino e Chika Fujiwara vêm bem distantes com apenas 1 Scudetto (e só um milagre agora).

Em linhas gerais, foi um ótimo episódio, principalmente devido a sutil mudança de teor que tivemos para abordar a história do Ishigami e também na parte técnica. Bem… é só o início do arco do festival esportivo, que já ouvi de muitos que é o melhor, então, vamos aguardar pela resolução.

E vocês, o que acharam desse episódio de Kaguya?

Extras

Boatos de que ela vai ser importante, mas só boatos hauahuahua ~
Cinquenta tons de cinza kkkkkkkk
Mais um show de layout e composição de cena: iluminação, proporção e cenário casando muito bem.
Momento de admiração de waifus aleatórias – Kobachi! ~

Breno Santos

Estudante, 21 anos, amante de astronomia, café e cultura otaku no geral; além disso, é fascinado por cinema e pelo trabalho executado por uma staff de animação.