Hoshiai no Sora #01 e #02 – Impressões Semanais

Desde o início do ano, tenho visto muitas notícias sobre este anime – uma história original de soft tênis saindo pelo estúdio 8-bit (mesmo de Slime). Ultimamente, não há tantos animes de esporte por ano, pois estamos na era dos isekais, por isso, Hoshiai no Sora se sagrou como uma grande surpresa para mim (superando até minhas expectativas). 

A princípio, seu design “mais redondo” e com menos detalhes, se assim podemos chamar – vulgo design simplificado/cartunesco – favorece bastante para que a animação seja fluída durante as movimentações dos personagens, já que eles têm menos linhas para desenhar por frame. 

Maki com seu futuro interesse amoroso (ou será que não)? ~

Digo que foi uma boa jogada feita pelo diretor Kazuki Akane ao lado do character designer Yuuichi Takahashi, que é um cidadão que trabalha muito bem com esse tipo de traço. 

FLCL Alternative – tanto o filme quanto a série – dispõe da participação do Takahashi na função e, para quem gosta de animação com bastante fluidez, vale muito uma olhada na série FLCL.

Continuando, uma coisa que pegou a gente de surpresa foi a ending muito simpática feita inteiramente pelo animador Ryouma Ebata, mais um trabalho solo dele no 8-bit. Para quem não se lembra, no meu primeiro texto aqui eu falei dele, pois foi ele quem fez a primeira abertura de Slime (sozinho também). 

Aparentemente, parece um ótimo uso de rotoscopia na dança dos personagens, mas não é, é animado em 2D mesmo – um trabalho de alta complexidade e que foi executado muito bem

Até a galera do conselho estudantil dançando, ficou bem legal mesmo! ~

Entre todos esses aspectos técnicos positivos, o que mais me chamou à atenção foi o enredo, em especial o do protagonista, Maki Katsuragi. 

Um garoto batalhador que faz de tudo em casa (e que odeia elevadores) – esse é o Maki. O plot dramático da vida dele foi uma ótima virada no final do primeiro episódio.

Aquele problema com o pai (que aparentemente tem algum vício), a situação da mãe que tem que se desdobrar no trabalho para dar boas condições ao filho, enfim, a vida corrida do Katsuragi, no geral, foi atrativa e bem-apresentada, já é um personagem que provoca um apego desde o primeiro episódio. 

Outro ponto legal sobre ele é seu interesse por astronomia (e que dita os rumos do anime), estou interessado para ver as futuras analogias das constelações com os jogos de soft tênis – gostou de astronomia, já tem o meu apoio. 

Por outro lado, os meninos do clube não são lá muito simpáticos – exceto o Touma – capitão, presidente e única pessoa que se esforça ali. É até meio previsível, pois já fica nítido que os outros garotos vão se mover depois de ver a força de vontade do Maki e do Touma, mas estou realmente curioso para saber como vão desenvolver isso. 

Falando do Touma, ele é muito persistente e eu gostei bastante dessa característica dele. Até pagar o Maki para entrar no clube ele vai. Uma das coisas que me chamaram a atenção nele também foi aquele receio da mãe dele de ficar sozinha com o filho e também o passado que ele teve com o Maki (fato não muito abordado ainda). 

Em meio a todo esse turbilhão, há a Kanako Mitsue, a típica menina misteriosa que deve ter algo obscuro no passado. Em primeira instância, eu gostei bastante dela! O jeito desleixado dela de lidar com as coisas, a forma como olha para o clube dos meninos e também as interações com o Katsuragi são muito interessantes. 

Será que secretamente ela é uma stalker? haha

O ponto que mais me preocupa é que o anime foi listado com apenas 12 episódios, observem bem quantos plot points foram abertos somente nos três protagonistas, fora, claro, os dramas do clube com o conselho e etc… não vai dar tempo de desenvolver isso de uma forma adequada em apenas 12 episódios. 

Espero que já tenham um projeto para uma continuação, pois anime de esporte com 12 deixa muita coisa para trás, vide Hanebado no ano passado, com uma ótima proposta, mas que deixou diversos assuntos resolvidos de uma forma muito aquém. 

Em linhas gerais, foi uma estreia que me agradou bastante, vamos ver como o anime vai se desenvolver durante os próximos episódios e como o Maki irá passar por toda essa situação. 

Extras: 

Katsuragi e seus reflexos like Homem-Aranha ~

Não sei vocês, mas já tô shippando!

Breno Santos

Estudante, 21 anos, amante de astronomia, café e cultura otaku no geral; além disso, é fascinado por cinema e pelo trabalho executado por uma staff de animação.