Mahou Shoujo Ikusei Keikaku #12 – O Banho de Sangue chega ao Fim | Impressões Finais

Não posso negar que gostei do bichinho digital jogando na cara da protagonista toda a inutilidade e inercia dela com toda desgraça a sua volta. Nem no último episódio ela conseguiu fazer algo. Pensei que seria ela a destruir o aparelho, mas até nisso quem roubou a cena foi a Ripple, de longe uma personagem bem mais interessante do que a choradeira ambulante que tínhamos como personagem central.

A luta da dela contra a Swin Swin não foi mal animada, mas claramente eles não dispunham de ninguém com gabarito para criar boas sequencias de coreografia, gerando movimentações curtas e de criatividade limitada. Mas ao menos a luta conseguia passar tensão, o que ainda considero o mais importante, por mais que gostei de boa animação.

A sequencia final da Ripple usando o próprio braço arrancado para cegar a oponente com sangue foi bem desesperador, e graças a montanha de mortes até aqui temos aquele medo automático de que sim, a Ripple pode morrer a qualquer momento.

Nesse ponto da obra deve ser uma personagem que a maioria se importa eu imagino. E uma das vantagens de obras que matam muitos personagens é essa: a dúvida se o personagem vai ou não morrer, que os shounens de ação geralmente não conseguem dar.

No fim das contas ficaram faltando algumas respostas, principalmente por conta da organização mágica. Elas não viram nada demais no que ocorreu? Os mestres podem mesmo fazer exames daquela forma se quiserem?

A Snow White decidiu parar de ficar só olhando desgraça ocorrer a sua volta depois daquilo, mas sua falta de ação durante a série toda acaba gerando total apatia com sua mudança. E a Swin Swin morreu como uma personagem sem aprofundamento do psicológico. Mas como o bichinho digital comentou que “ela tinha um parafuso solto” ao menos parecia o proposito do autor que ela fosse uma psicopata mesmo, ele só não desenvolveu isso direito.

Ao menos uma boa personagem, a Ripple, saiu viva da história toda, e o melhor, notoriamente mais madura. A jornada dele foi bacana, e valeu ter assistido o anime pela mesma. Já a Snow White pode morrer em um buraco que duvido que muitos se importem.

No geral foi um anime divertido. Conseguiu pegar um gênero que já está ficando comum de Garotas Mágicas Dark e dar uma cara própria a ele, em um verdadeiro Battle Royal bastante movimentado em sua segunda metade. Podia ser melhor? Com certeza, principalmente no desenvolvimento de alguns personagens, principalmente a louca da Swin Swin e a protagonista, que não agrega nada a história só choramingando todo episódio. Uma personagem mais decidida ou com mudanças mais aparentes ao longo da obra teria sido melhor ao meu ver.

Recomendo esse anime? Olha, dos animes de Garota Mágica Dark é o segundo melhor que já vi. Só que isso não quer dizer muito. Madoka (o anime para TV, não recomendo aquele treco chamado “Filme 3”) é bem superior a nível de narrativa (o design eu prefiro esse), mas os seus concorrentes ao longo dos anos foram bem fracos. O maior destaque depois desses dois seria Yuki Yuuna, que tem uma proposta interessante mas acaba em um dos maiores Deux EX que eu já vi, então não é um que recomendo.

Se quer algo parecido com Madoka pode dar uma olhada nesse, que, embora deixa a impressão de que poderia ser melhor, ao menos se fecha de forma satisfatória e tem uma segunda metade bem divertida/movimentada.

Curiosidade: O anime adaptou apenas o volume 1 da light novel. Ainda bem o que fim dela consegue dar um ar de fechamento a série.

Nota do episódio:

Nota do autor

 

Nota da Série: 7/10 (Mediana)

Mahou Shoujo Ikkusei Keikaku está disponível no Crunchyroll.

E você, que nota daria para o episódio?

Nota dos Visitantes
[Total: 145 Média: 3.9]

 

Relacionado:

Extras

Essas gifs representam bem minha reclamação das lutas da série, que embora tenham movimento e se mantenham estáveis no visual, não possuem um bom senso de velocidade e movimentos elaborados na maior parte do tempo.