Sangatsu no Lion #11 – Impressões Semanais

Há uma rápida passagem durante esta décima primeira parte de Sangatsu onde Rei pensa “em minha solidão, esqueci a solidão dos outros”. Por mais que possa ser considerado algo egoísta – o que ele mesmo confirma -, não é um egoísmo cruel, intencional e visando o mal. É apenas a reação natural de alguém que passou por infortúnios pesados em sua curta existência, cicatrizes que ainda coçam no presente.

E o que inicialmente dava a aparência de ser um capítulo mais íntimo, depressivo, onírico e metafísico, porém, abraçou o ambiente otimista das festas de final de ano para dar uma nova visão de realidade tanto ao protagonista quanto aos espectadores.

E é só ao rever as irmãs Kawamoto que percebe-se a falta que elas fizeram nas últimas semanas. Do quarto fechado e sombrio do rapaz, que por si só emana uma áurea moribunda e mórbida, rever a aconchegante e apertada casa que as três dividem com seu avô é um alento, um genuíno prazer. Tanto para nós, quanto para o garoto, que avança mais uma etapa para fugir de sua sofrência constante ao perceber o quão importante ele é pra um grupo tímido, mas leal de pessoas – Totoro, seu pai, as supracitadas garotas e sugiro até dizer sua meia-irmã loira. Pode parecer óbvio para quem acompanha a obra desde o início, mas é assim que a personalidade de Rei desenvolve-se naturalmente com o andamento da trama. Tudo reforça o quão fundo ele chegou em aspectos psicológicos.

E não haveria local melhor que a colorida, estreita e multi-mobilhada residência de suas amigas para elevar o ânimo em uma data que simboliza historicamente positiva e que deve aspirar esperança, recomeço e alegria.

Porém, Sangatsu também não é ingênuo de esquecer sua natureza. E é ao trabalhar no que há de bom que decifra-se camadas mais internas e escuras das figuras que habitam a animação; por mais sorridentes e ardorosas que sejam as meninas, sempre há portas passadas ou mais atuais do que se imagina para levar a quartos onde a luz não mais toca; a perda da mãe, da avó, a situação misteriosa do pai. E aí, novamente, destaca-se a importância de Rei, em uma inesperada situação de pilar emocional para manter a integridade de Akari.

“Não haveria luz se não houvessem trevas”, disse Horácio Slughorn, em mais um inspirado pensamento de J.K. Rowling. Está certíssima. Por mais preto no branco que pareça, não há argumento contrário a isso. E nada melhor para deixar prevalecer a luz do que boa companhia, conversas agradáveis e um ambiente revigorante.

Ao seu final, por mais que se passe no ano novo, a sensação é exatamente a que o Natal transmite em uma visão estereotipada: como um grande e caloroso abraço naqueles que você ama.

Nota do autor

 

E qual sua nota, leitora(a)?

Nota dos Visitantes
[Total: 94 Média: 4.7]

 

#Extras

Carlos Dalla Corte

Curto 6 coisas: animes, cinema, escrever, k-pop, ler e reclamar. Juntei todas e criei um blog.

Você pode gostar...

  • Doug

    Review legal. Mas não pretendo acompanhar o anime, só acompanhar as reviews mesmo.

    • E qual o objetivo disso?

      • Doug

        Ficou vaga sua pergunta.
        Vou responder como entendi.
        Se você se refere ao objetivo de eu comentar nesse post, é como eu disse. Eu gosto de ler o resumo do episódio. Mas não pretendo assistir o anime (não sou fã de slice of life parado).

        • Thelasthope139

          É fã de slice corrido?kkk. slice of life lento se encaixa mais

          • Doug

            Sim, sou fã de slice of life mais movimentado. Tipo Shirobako, Bakuman, etc. Esses parados são um porre

        • Digo de ler as reviews de um anime que não tens planos de assistir.

          • Doug

            Ué, porque gosto de ler os resumos. Da mesma forma li de Yaoi on Ice, e de Izetta, mas não assisti

  • Gostei desse episódio, para falar a verdade os dois últimos foram ótimos, o começo do mesmo nos mostra a consequência do desabafo emocional ocorrido no episódio 10, Rei está claramente abalado trancafiado a alguns dias no seu apartamento desprovido de luz natural, a cena em que ele diz que iria dormir com o objetivo de acordar e a febre ter sido apenas um sonho/mentira pode ser interpretado como sua situação ao todo. Kyouko como um vendaval que causa destruição e desaparece não deu a cara nesse episódio. Acho incrível e se não for a parte mais linda dessa obra o carinho que as três irmãs tem com ele, por falar nelas as perdas ocorridas em sua família ainda se mostra ser muito doloroso, apesar disto ocorre um apoio mutuo entre Rei e a família. Continuo não gostando do alivio cômico que tentam fazer com os nekos, mas tirando isso foi um ótimo episódio que nos mostrou mais a relação entre a família e o Rei. Nota 3,5. ótima review Carlos.

  • Eu ainda vou assistir o anime mas slice of life pra mim tem q ter romance

  • Mônica Azevedo

    Hora de atualizar meu top redatores do intox e exibir em público pra tentar gerar Treta :3

    1-Sirlene
    2-Carlos

    (Abismo)

    3-Marco

    • Doug

      You fail.

      • Mônica Azevedo

        Droga. hora de partir pra polêmica.

    • Thelasthope139

      Carlos parece um poeta :! Fico gamado nessas reviews dele

  • Renan

    Acho incrível como as irmãs afastam qualquer clima de tristeza na série, principalmente, a Momo uma coisa pequena, pura e inocente. Outro ponto importante relatar no episódio é que também nem tudo são flores na vida das irmãs e isso ficou mais claro nesse episódio, a Akari que é a mulher que suporta a responsabilidade da casa precisa do Rei e ele precisa delas, é uma ajuda mútua no fim e ambos só tem a ganhar. Para Akari, Rei é a saída de rotina dela, enquanto para o Rei, ela e suas irmãs são uma família feliz que ele não tem. Foi um ótimo episódio, agora o importante é nosso querido protagonista entender que agora ele não está mais sozinho e saber que tem um lugar aconchegante e pessoas esperando ele voltar.

  • Miqueias Silva

    Se houver algum romance futuramente eu quero que seja do Rei e Akari,é como se um precisasse do outro para fugir da solidão

    • Jura

      Você diz, em um estado, onde ambos estarão ”lambendo” as feridas um do outro para aliviar a solidão? Sinceramente, eu não gostaria nem um pouco disso. 🙂

      • Miqueias Silva

        Na vdd eles estarão se ajudando,não é como se aquilo fosse uma necessidade que ambos tem que fazer

    • FRSilva

      Spoiler
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      De acordo com o manga, romance como um shoujo não vai ter, tem a promessa de um casal, mas não são estes aí que você citou (que eu também prefiro).

      • Miqueias Silva

        Spoiler
        .
        .
        .
        .
        .
        .
        .
        .
        .
        ..
        .
        No caso é com a Hina né
        Pra mim ela é MUITO criança para ele,e como ela começa a gostar dele se ela gostava do colega dela?
        Se for para ter esse romance então prefiro que nem tenha

  • Pedro Bordignon

    O último episódio, sem contar com a presença da família animada, havia passado um clima mais pesado, com aquele final impactante. O início desse episódio passava uma sensação semelhante, Rei em seu quarto, escuro e “representativamente inundado” fazendo referência à sua solidão e bloqueio mental(usada na abertura também), sem vontade de fazer algo ele ficava apenas deitado, solitário.
    Eis então que surgem luzes finalmente, visuais e também sonoras, a chegada das irmãs mudava completamente o clima e mesmo dentro do ambiente pesado da casa de Rei, a presença das três criava uma sensação diferente, uma sensação calorosa.
    Depois disso vemos que era um simples resfriado e ele já reaparece na casa das irmãs, no momento comemorando o ano novo, prática muito tradicional, feita em família, ao dizer que gostaria de ter ele ali, junto à família naquele momento tão importante, A jovem praticamente o incluiu em sua família, e aos poucos, vendo ligações de seu pai adotivo também, Rei percebe que não estava sozinho, como pensava, ele tinha pessoas que se importavam com ele, que desejavam seu bem, sendo recebido tão calorosamente pela família Kawamoto, mesmo sendo poucas pessoas, há gente que se importa com ele, fato representado bem pelas cartas que recebeu, apenas duas, mas não zero, e com suas falas Akari mostra para Rei que solidão é um mal que assola muitos, e poderia recair sobre até mesmo essa jovem tão perfeita e feliz.
    Depois com a chegada da tia ocorrem algumas conversas mais sérias, sobre Akari não ficar presa em casa, protegida, como desejava o avô, e a tia revela então o motivo dela fazer com que a jovem trabalhasse em seu bar, para não perder seu lado feminino e vaidoso, se arrumar e sair à noite ao menos algumas vezes é importante, diz a tia.
    Após isso com a hilária situação do banheiro ligado à sala(fiquei espantado e rindo disso), o clima se acende novamente e o episódio se finaliza com Rei se questionando sobre como se sentia tão confortável aquela casa que há relativamente pouco tempo poderia ser estranha, e depois de algumas lembranças, ele sentiu a sensação calorosa, daquele ambiente casual, que segurava e abraçava gentilmente as pessoas ali.
    A questão que me faço ao acabar os 25 minutos é: no próximo episódio esse feliz clima será mantido ou uma quebra virá e um clima pesado como do episódio da semana passada surgirá novamente?
    Assim como a velha casa, essa obra me envolve “calorosamente” cada vez mais.

  • Thelasthope139

    Um dos melhores slice of life do ano na minha opinião,mas ainda acho fune wo amu um pouco melhor. Raramente vejo slice of life sem romance,queria que Sangatsu tivesse mas não sei se vai ter.Otimo anime, mas não consigo me acostumar de jeito nenhum com o traço dele,msm não tendo relevancia no enredo e roteiro,essa cara de pastel dos personagens me incomoda,pra quem não liga pra isso, deve desfrutar mais do anime,essa minha frescura com o traço não para….

    • Fabbio Leopoldo

      Esta como eu, não importa quando episodio eu vejo não me acostumo com a forma que olhos deles são desenhados, poderia de feito eles melhores desenhados para passa mais emoções dos personagens

      • Alexandre Martins

        o contra pra mim é só a bocas deles, bem estranha.

    • Scar

      Vai ter um pouco de romance mais pra frente.

      Sobre o traço não vejo problema algum, até parece que o povo não conhece os animes da Shaft

      • Thelasthope139

        Ainda bem que vai ter romance.

  • Gabriel Nascimento

    Me identifiquei muito com protagonista nesse episodio, o dilema dele “esquecer a solidão dos outros por se preocupar demais com a sua” é algo que penso muito sobre, que deveria se importar mais com as pessoas do que os meus próprios problemas para não ser egoísta.

  • Gabriel Villet

    Não curti muito esse episodio…

  • Droppei esse..

  • Shurit

    Eu já estava com uma saudade gigantesca das irmãs, os últimos episódios estavam muito “vazios” sem elas.

  • Você já tem algum anime em mente para comentar semanalmente na próxima temporada? Adoro seus textos.