Sangatsu no Lion #10 – Impressões Semanais

Pesado. Essa é palavra para definir este episódio de Sangatsu; um clima que parecia temporário e teve uma pequena pausa para respiro na cena com o professor espalhafatoso e com cordas vocais privilegiadas, mas que logo retornou para cobrir toda a atmosfera de seus pouco mais de 20 minutos, como uma manta densa e pegajosa.

Não é difícil encontrar a razão para tal, é claro. Ao contrário do habitual, as irmãs, antípodas de nosso protagonista e que atuavam como contraponto da personalidade do garoto, como a luz em meio às trevas, não deram as caras, sendo substituídas por alguém que não se encaixa nem no reino de Rei nem das Kawamotos, mas que habita em seu pequeno inferno pessoal.

Tampouco necessita-se de uma retrospectiva detalhada para conhecermos bem a relação entre os dois. O ódio de alguém que teve seu lar invadido por um estranho que, como uma praga, tomou todas as atenções da figura paterna. Não à toa, novamente a garota buscou afetar o juízo do rapaz para uma vindoura partida, com a astúcia de um detetive para esmiuçar a vida de seu oponente. E, como um henólogo que tem a chance de saborear o mais nobre dos vinhos, a loira arrasta suas palavras o máximo possível, com a maior quantidade de veneno possível, ávida por impregnar sua maliciosidade em Rei como uma adaga – tudo isso enquanto não consegue evitar um sorriso de cruel prazer estampado em sua enganadoramente bela face.

Há um porém nisso tudo: tenho como hábito formar a review enquanto assisto o conteúdo que escreverei sobre. O que me veio à mente imediatamente no diálogo entre os irmãos é como Kyouko era dependente de Rei, a quem utiliza como receptáculo de seus podres. Entretanto, o garoto é bem direto ao expor que, inexplicavelmente, sente o desejo de ouvir tudo que ela tem a dizer, com culpa ou não. Culpa, afinal, que me parece o motivo para tal situação; Rei se atormenta e remói o passado por considerar-se o tornado que avassalou a residência de uma então pacífica família, tendo como consequência a destruição de tantas vidas e o despertar do ser abominável que se denomina Kyouko Kouda.

Nada disso, como deve ser, fora suficiente para fazer Rei abandonar sua “besta inferior”, sua fome pela vitória, seu pavor pela derrota. Pavor, este, que toma conta de seu taciturno e combalido rival, que já parece entrar na disputa derrotado e apenas adia o inevitável como pose, ao som de uma inquietante trilha sonora.

E a indignação de Rei ao avistar a obviedade da desistência interna do sujeito evidencia o peso que carrega consigo por mais uma existência que se julga responsável, novamente pelas palavras de Kyouko.

E é de tudo isso: do peso, da angustia, aflição, de todos esses tormentos que Rei foge, ao final, tendo como fundo um lindo pôr-do-sol que adorna seu excruciante desabafo, o desabafo de alguém que não aguenta mais.

Nota do autor

 

 

E qual sua nota, leitor(a)?

Nota dos Visitantes
[Total: 114 Média: 4.7]

Carlos Dalla Corte

Curto 6 coisas: animes, cinema, escrever, k-pop, ler e reclamar. Juntei todas e criei um blog.

Você pode gostar...

  • Melhor episódio até agora na minha opinião, o Rei desabafou tudo o que estava preso em sua garganta, o ódio de ter quer lidar com aquela situação. A Kyoko tem uma obsessão doentia pelo Rei ela usa todas as suas artimanhas para deixa-lo o mais desconfortável possível antes de suas partidas, ela chega ao ponto de estudar os adversários só para expor os problemas dos mesmos para o Rei com o objetivo de fazer ele ceder as partidas e deixa-lo com receio de ganhar justamente por saber das consequências, o problema do episódio passado relacionado ao adversário do Rei foi resolvido com dialogo, já o oponente dessa vez recusou-se a aceitar a derrota e recorreu a bebida, Rei não pode fazer nada diante da situação o que o fez se desesperar e colocar tudo para fora em uma cena linda e emocionante.

  • Cloud

    Que episodio minha gente..E a kouko hein? cada palavra parece com um espinho venenoso

  • Gabriel Villet

    Essa mina….. Ela é louca! Ela é maluca! Ela diz coisas absurdas! Resumindo. Rei é M e ela é o capeta…

  • Gabriel Nascimento

    A cena final foi linda e emocionante, mas por fim, não foi perfeita, o Rei depois de gritar cair de cara no chão foi um exagero para dar mais impacto na cena, não precisava, tava lindo, natural, mas foi só um pequeno erro que não estraga nada a cena.
    E venho falar que a Kyoko é a personagem mais legal depois da Hinata.
    Nota do ep: 4.0

  • Renan

    Gosto muito quando quando Sangatsu no Lion foca no drama, onde é sua maior riqueza e deixa de lado um pouco sua comédia um pouco exagerada. O Rei teve que lidar com mais uma pressão psicológica de sua irmã venenosa, não tinha o que fazer ele não poderia entregar a partida, nunca pode-se misturar num trabalho profissionalismo e sentimentalismo, essas duas variáveis não combina. Em relação ao adversário, mais uma vez temos um caso, onde uma pessoa estraga tudo por causa de seu vício: o álcool. Na minha humilde opinião, as vezes eu acho o vício do álcool mais perigoso que a droga, eu ouvi mais casos de salvação em relação a droga do que o álcool. Existem muitas pessoas que usam o álcool como uma ferramenta para se soltar e extravasar. Enfim, no geral foi um ótimo episódio, o melhor até agora, e a Kyoko apesar de ser uma cobra, está tendo um bom desenvolvimento, sua atitude não é forçada na obra.

  • ( ͡° ͜ʖ ͡°) 💕

    Coitado do Rei… Essa “irmã” dele só pensa em atacá-lo verbalmente para “retribuir” o que ele causou na sua família, que segundo ela, ele é o responsável por todos os seus problemas pessoais e familiares. E isso faz ele se sentir culpado pelo problema dos outros, como se fosse apenas um desastre na vida de cada um. Ele tá precisando de um psicólogo e rápido!

  • Gildarts

    De longe foi o episódio que mais gostei.

  • Desculpe entrar aqui sendo que eu não vejo o anime…mas estranho tão pouca gente comentando aqui, jurava que muitos achavam o anime o melhor da temporada e mesmo assim quase nada….ainda mais pelo que soube este ep foi ótimo ( pretendo ver este anime depois de ter terminado, acredito eu que só conseguiria lembrar dele se fosse maratonando, a maioria dos slice of life funciona assim para mim).

    • Edu©

      Não acho surpreendente, visto que ele não é um anime movimentado e cheio de cliffhangers como Re:Zero, por exemplo. Sangatsu no Lion é bem parado as vezes, com simbolismos e momentos de reflexão, com alguma comédia aqui e ali, um clima meio tenso e pesado as vezes; bem parecido com Honey & Clover, seu “antecessor”.

      Vê sim quando terminar, o anime está sendo muito bem feito. =)

  • Jônatas

    Difícil saber se ele joga por amar o shogi ou porque isso é tudo que ele tem. Em um dos episódios anteriores, ele disse que jogava pra poder ver a expressão que o pai dele fazia enquanto jogava, mas não deixou claro se ele mesmo gostava. Por outro lado, não acho que ele suportaria a pressão que vem sentindo até agora se realmente não amasse o shogi.

    Aquele pai adotivo dele é burro hein… Meu Deus, como ele não percebeu o que estava acontecendo ? O ”vício” pelo shogi deixou ele ”cego”.

    • Kleber Binho

      Burro seria um elogio, ele foi praticamente o responsável pela destruição da própria familia

  • Burakomin

    Engraçado, eu não vejo a Kyouko como alguém em busca de vingança pelos problemas que sua família passou a ter, pelo contrário, para mim ela é alguém que buscar quebrar a fortaleza que o Rei montou em torno se si.

    Até o momento, fica claro que o Rei é um personagem bastante problemático, mas também alguém que não se importa com os outros, mesmo na convivência com as irmãs ou com seu “melhor amigo”, quase sempre é focado através de seu ponto de vista depressivo. Perceba que nenhuma das pessoas que o Rei tem uma interação mais próxima foi iniciativa dele, tanto que você nunca vê ele conversando com nenhum colega na escola, algo explicitado por seu professor, mesmo no Centro de Shogi, praticamente não há nenhuma tentativa de interação com outras pessoas.

    Portanto, sempre que a Kyouko tece comentários sobre seus adversários, não considero que a faça por maldade, mas como forma de fazer refletir que sua autocomiseração é hipócrita e egoísta, em comparação a vida de um velho jogador em vias de ser rebaixado e aposentado, ou ainda temos o jogador com problemas de álcool, a beira de um divórcio e que fez uma promessa a filha que pode não cumprir. São nesses momentos de reflexão, que ele apresenta um lado mais humano e solidário, tanto que busca de alguma forma ajudá-los, mesmo não querendo fazer isso.

    Embora seja uma forma distorcida, concluo que sua irmã está tentando ajudá-lo, fazê-lo perceber que todos também seus traumas e problemas, entender que a única forma de curar suas feridas, é buscando apoio nas outras pessoas e externando seus sentimentos. Até acredito que haja algum tipo paixão entre eles, mas que não se concretiza, em razão das paredes que ambos ergueram ao seu redor.

    • Felipe Milhomem

      Pelas palavras do Rei, penso que há algum tipo de atração entre ambos, mas não algo como paixão, embora eu não saiba dizer bem o que é. Quando ele fala que não consegue deixar de ouvi-la, imagino se não seria como aqueles insetos atraídos para uma lâmpada, algum tipo de instinto.
      Embora de alguma forma pareça que a Kyouko tenha aquele jeito para encobrir como realmente se sente.

  • Felipe Milhomem

    Muito bom esse episódio! Aquela cena do Rei desabafando sozinho foi a melhor parte! Não só pela cena em si, mas porque sabemos que o personagem é, no momento atual, incapaz de demonstrar sua insatisfação para outra pessoa.
    Vai ser interessante ver o desenvolvimento dele no anime nesse aspecto.

  • Mayson Santos

    foi um episodio bom…… ele tendo o conflito dele
    acho que ele não o que quer e ta atras disso

  • Negão Kami-sama

    a eloquência das palavras do marco, c me dissessem q é um um escritor famoso acreditaria piamente, mto bela a forma em como se expressa,

    • Mas é o Carlos :'(

      • Negão Kami-sama

        rapaiz, apaixonei pelo carlos, passa o fone