Top 10 Melhores Animes – Ecchi de Ação com Romance


Odiado por alguns, adorado por outros, ecchis de ação e romance podem ser animes divertidos de assistir se você tiver em mente que eles se propõem a colocar imagens bem sensuais no meio do seu plot (assim como o popular Game of Thrones). Nesse post vou falar dos meus preferidos do gênero e de mais um bando de extras.

Versão em vídeo:


A coisa básica para conseguir aproveitar um ecchi é ter em mente que ele quer vender fanservice. O que não significa que ele não vai ter um plot interessante ou até personagens carismáticos, e as vezes bem desenvolvidos. Já tive essa visão radical que ecchi não presta, é uma praga, ect, mas a perdi com o tempo, depois de aprender a analisar ou ver algo tendo em mente o que aquela obra se propõe.

Você pega a proposta da obra e pensa “o quão bem ela fez o que se propôs? podia ter feito algo melhor? Teve algum destaque? Teve problemas notórios?”. Claro que isso não significa que você não possa achar a proposta idiota, ou sequer gostar dela. Eu não gosto de nonsense, mas não vou fazer um review de um anime nonsense reclamando que ele tem exageros, vou apenas afirmar que tem exageros, eu não gosto disso, dropei, pronto.

Isso não significa é claro que eu perdoo um anime que gasta metade dos seus episódios esquecendo que existe uma trama central, se focando só em mostrar fanservice não atrelado ao plot como se fosse uma OVA separada. A desculpa de “ah, é um ecchi, dane-se o plot”, não cola pra mim. Na verdade quem fala esse tipo de bobagem é quem mais denigre o gênero. Se for pra ver mulheres semi-nuas sem um enredo ou desenvolvimento de personagem por trás, ai sim, melhor ver um hentai.

IMPORTANTE:
Em caso de animes ecchi sempre procure a versão Blu-ray(BD). Não só porque ela é sem censura e normalmente tem cenas ecchi extras, mas porque a maioria dos estúdios envolvidos com ecchi são medianos a fracos, então o anime costuma ter um bando de cenas tortas que são corrigidas só na versão BD (exemplo). Fica avisado.

Tema:
O tema aqui são animes de ação+romance com bastante ecchi (cenas sensuais, pouca roupa, peitos de fora ou mulheres nuas em abundancia), mas que tem um enredo “normalmente” sério como pano de fundo, ao qual costumam dar mais atenção do que seu fanservice.

Top 10 – Melhores animes Ecchis de Ação com Romance 
(A ordem não importa no post escrito, olhe a nota, e quem quiser minha ordem de preferência tem no vídeo)


High School of the Dead

Gênero: Ação, Gore, Romance, Ecchi.
Diretor: Tetsuo Araki (Attack on Titan, Death Note)
Estúdio: Madhouse (Parasyte, Death Note)
Episódios: 12 (+ OVA)
MAL: Clique aqui
Minha nota: 8/10
Trailer:


Sinopse:

Numa manhã comum tudo acontecia normalmente como em qualquer outro dia. Do telhado, Komuro Takashi, o personagem principal, observa um estranho acontecimento nos portões do colégio, um homem suspeito está causando confusão. Um dos professores acaba sendo mordido pelo homem suspeito e em meio a gritos de desespero dos outros professores ele se levanta, mas agora ele é um zumbi. Enquanto isso, Takashi corre de volta para dentro do colégio e junto com sua amiga Rei e Hisashi eles decidem fugir do colégio. Mas agora já é tarde demais…o colégio já está infestado de professores e outros colegiais zumbis. Assim começa a história de sobrevivência desses simples colegiais.

Review:

Esse anime é um excelente exemplo de como fazer um bom ecchi. Ele tem um monte de fanservice, mas a prioridade é sempre manter a trama movimentada e suspense constante. E com o elenco passando aperto em meio ao caos de um apocalipse zumbi fica difícil desgrudar os olhos da tela.

O primeiro episódio já termina em uma situação bem trágica, que dá gravidade ao enredo. Nos episódios seguintes os personagens que sobreviveram vão se juntando e tem que dar um jeito de fugir do colégio, e depois encontrar um lugar seguro (o que é meio difícil com praticamente a cidade toda tendo virado zumbi). Ao mesmo tempo vão sendo mostradas outras partes do mundo com a praga se espalhando, e uns dramas aqui e ali.

O elenco tem um bando de mulheres bem apessoadas da qual a garota psicopata da Katana é a que mais se destaca para a maioria (a professora peituda é mais o alivio cômico do que outra coisa). O protagonista faz bem seu papel de Alpha, dando suporte ao grupo e tendo um papel importante nas cenas de ação. Mas vale destacar um dos gordinhos mais legais que já vi em animes também. Ele parece um personagem nojento ao primeiro momento, mas rapidamente se torna um membro essencial para o grupo, tendo ótimas cenas mesmo nos momentos de ação (se o autor terminar essa obra um dia espero que ele consiga ficar com a garota que gosta, ele merece).

O anime só perde em cenas um tanto quanto exageradas as vezes. Elas são até legais, e o diretor estava inspirado na cena do “bullet time com peitos”, mas a da mulher tendo um orgasmo enquanto matava zumbis foi tenso. Outro problema é a obra terminar completamente em aberto, parecendo que faltou uns episódios para pelo menos fechar algo parecido com uma saga. Ainda assim são 12 episódios bem divertidos, cheios de ação, drama, gore, peitos, calcinhas e mulheres nuas ou semi-nuas lutando contra Zumbis. Não virou um o ecchi de ação mais popular do MyAnimeList a toa, o que ele se propõe a fazer ele faz muito bem.

Já fiz a análise de chances de 2ª temporada de High School of the Dead.

Rakudai Kishi

Gênero: Ação, Magia, Escolar, Romance, Ecchi.
Diretor: Atsuko Tomono (Invaders)
Estúdio: Silver Link (Fate Illya)
Episódios: 12
Minha nota: 9/10
Trailer:
Sinopse:

O protagonista é um repetente de ano que em meio a uma confusão é desafiado pela aluno do primeiro ano mais forte da turma, que para sua surpresa descobre que ele não é tão fraco como os rumores diziam. Ambos são estudantes de uma escola de magia para cavaleiros que podem invocar armas. E depois desse evento um romance entre eles começa a se desenvolver.

Review:
Rakudai parece que vai ser um anime super clichê pela sinopse, mas em 4 episódios te surpreende bastante, com uma boa direção de ação e uma romance que vai pra frente bem rápido. Nos episódios seguintes ele continua trabalhando esse romance, ao mesmo tempo que impõe novos desafios ao protagonista masculino, e encerra com um excelente climax, dando um drama bacana para o protagonista resolver de uma vez por todas suas questões familiares. Tem uma surpresa no encerramento também. O ecchi é leve no geral, então mesmo quem não gosta do gênero não deve ficar muito incomodado. Só faltou um desenvolvimento mais forte para a protagonista feminina e seria perfeito.

Já fiz a análise das chances de 2ª temporada de Rakudai Kishi.

Para o review completo, clique aqui.

 

Sekirei

Gênero: Ação, Comédia, Romance, Ecchi.
Diretor: Keizo Kusakawa (Campione, Mondaiji)
Estúdio: Seven Arcs (Trinity Seven, Inukami)
Episódios: 12 (+ uma S2 e duas OVAs)
Minha nota: 8/10
Opening: Clique aqui
Trailer:
Sinopse:

Minato Sahashi é um jovem de 19 anos de pouca sorte. Falhou pela segunda vez consecutiva à admissão para a universidade, não é popular entre as mulheres, não tem amigos e está desempregado. No entanto, a sua vida muda quando encontra-se com Musubi, uma bela mulher que reconhece-o com o seu Ashikabi e lhe envolve em uma batalha entre 108 misteriosas, poderosas e belas mulheres chamadas Sekireis.

Review:

Sekirei tem vários aspectos que diferenciam dos outros ecchis de ação: ele é leve, pra cima, tem momentos muito bonitinhos, e tem a ação mais bem animada dentre todos os ecchis de ação que eu já vi. O fanservice sempre está lá em algum momento, mas ele consegue passar isso como algo secundário, sem que pareça forçado ou pesado para quem está vendo.

Quase todo o elenco é muito simpático e é isso que vende mais a obra para mim, a simpatia e leveza com que ela se leva. Mesmo com problemas na mistura de comédia em algumas partes de ação (normal em shounens, mas eu detesto), e o protagonista não ser tão pro-ativo, é um anime que sempre recomendo para quem gosta de ecchi/ação e que espero que tenha uma temporada finalizando a obra um dia (já fiz a análise das chances de 3ª temporada por sinal). Quero muito ver o elenco ter um final feliz.

A história começa com o protagonista pegando a primeira Sekirei (garota com super poderes) dele. É a mais bobinha de todas, mas já dá uma dinâmica diferente a história porque ele tem que se virar para achar onde morar com sua companheira alien (todas as 108 Sekireis são aliens, na S2 gastam uns 2 episódios explicando de onde elas vieram e como tudo começou). São vários episódios focados no protagonista encontrando novas Sekireis até juntar seu “exército”.

De resto é o harém padrão, o diferencial aqui é que a obra consegue trabalhar bem cada personagem, todas parecendo simpáticas a seu modo (minha preferida era a Tsukumi). E é legal como a história tenta focar nelas por um bom tempo antes de se juntarem ao harém do protagonista, não deixando aquela impressão chata de que elas só foram inseridas no enredo no momento conveniente em que o protagonista precisava delas. Todas tem super poderes, desde físicos a ligados a algum elemento, o que gera situações engraçadas na disputa pelo protagonista, já que todas se consideram suas esposas.


Anime parecido com Serikei: Samurai Girls (bela Opening) é uma copia de Sekirei trocando o plot para história japonesa da época de Nobunaga. O protagonista beija as garotas para marca-las como suas servas e elas ganharem super poderes. O plot é mais simplório e pouco focado no entanto, e as garotas não tem desenvolvimento algum, sempre agindo da mesma forma todo episódio. O show tenta compensar isso com mais fanservice que Sekirei, mas o resultado final deixa muito a desejar. O protagonista fugindo das garotas consegue ser bem irritante também. Tem algumas animações de luta bacana, um visual bonito e bem acabado, e no geral é leve, então dá pra ver sem muitos problemas, mas não é muito bom, então deixem como uma das últimas opções dessa lista. Nota: 6/10.

High School DxD

Gênero: Ação, Comédia, Romance, Ecchi.
Diretor: Tetsuya Yanajisawa (Daimidaler)
Estúdio: TNK (Daimidaler, Blade Dance)
Episódios: 12 (mais S2, S3 e OVAs)
Minha nota: 7.5/10
Trailer:

Sinopse:

Conta a história de Issei Hyodo, um idiota, vagabundo e pervertido, do segundo ano do colegial. Quando Issei, supostamente, consegue uma namorada, ele é morto por ela em seu primeiro encontro. Issei é reencarnado como um demônio, e dali em diante, ele será um servo de Rias, uma demônio de alto nível que também é a garota mais bonita no colégio. (by ambient)

Review:

DxD é um dos animes mais populares de ecchi de luta pós-2010. O que o tornou popular foi (como quase todo anime ecchi) seu elenco feminino com variadas personalidades, e que sim, conseguem ter desenvolvimentos relevantes o bastante para saírem da “personalidade enlatada”. Seu mundo vasto, com vários times de demônio, classes, e a possibilidade de subir de nível com o tempo instigam a curiosidade de quem está assistindo para ver aonde o personagem principal vai conseguir chegar.

A história de DxD é basicamente novos inimigos de facções rivais a dos demônios surgindo a cada arco por algum motivo explicado, e somado a isso o autor sempre tenta atrelar algum plot, passado de personagem e desenvolvimento de uma nova heroína – ou alguma que já faz parte do elenco e ainda não foi explorada. Ele tem bastante cenas ecchi, mas não esquece de manter um plot interessante atrelado a ele de alguma forma, além de um costume muito positivo de quase sempre terminar em um cliffhanger que faz a pessoa querer ver o próximo episódio.


Anime parecido com High School DxD: Shinmai Maou (Opening) tem um plot de demônios contra anjos e heróis que lembra DxD em alguns aspectos, com a diferença de ter um protagonista mais série que “manda ver” nas cenas ecchis, embora tenha uma estruturação de roteiro e direção piores. Tem um review do anime mais abaixo.

Já fiz a análise de chances de 4ª temporada de DxD.

Freezing

Gênero: Ação, Ecchi, Romance, Gore.
Diretor: Takashi Watanabe (Hidan no Aria, Ikkitousen)
Estúdio: A.C.G.T
Episódios: 12 (+ uma S2)

Minha nota: 7.5/10
Trailer:


Sinopse:

Frezzing se passa em um futuro aonde o Shinji não entrou no robô e mulheres peitudas geneticamente modificadas tiveram que lutar contra os os Aliens aparecendo de lugar algum para destruir a terra. O negócio com Frezzing é que essa premissa é só o pano de fundo para os climax mais grandiosos, o que acontece 80% do tempo são mulheres com super poderes lutando uma com a outra por diferentes motivos. As “pandoras” são mulheres com super poderes, os “limiters” os parceiros do sexo masculino (cada uma delas tem um) que usam o “frezzing”, que pode paralisar ou lerdar o oponente por um tempo limite.

A história começa com o protagonista masculino chegando no centro de treinamento e dando de cara com a Pandora mais violenta do local, que além de fria não suporta contato físico com ninguém devido a um trauma de infância, ao menos até aquele momento.

Review:
O legal de Frezzing pra mim é que ele faz o que se propõe certo. Tem luta todo episódio, as lutas são absurdamente violentas e cheias de viradas (lembram shounens, só que sem enrolar). Então você fica realmente curioso com o que vai acontecer, já que o desfecho quase nunca é obvio. Outro charme do anime é ver a personagem principal super fria se comportando de forma mais feminina e inocente depois de encontrar o protagonista masculino, por quem se apaixonou, mas não sabe disso, já que ela é bem inocente em termos de romance. As interações entre os dois são muito engraçadas e o relacionamento deles vai sendo desenvolvido devagar durante os 12 episódios, sendo bem notório o progresso no final.

-Já fiz a análise de chances de 3ª temporada de Freezing.

Anime parecido com Freezing: Ikkitousen também tem um bando de mulheres querendo se matar e um nível de violência absurdo (tem até estupro). Os personagens masculinos tem ainda menos significância que em Freezing no entanto. O enredo do anime é baseado em garotas que são reencarnações de personagens históricos do conto dos 3 reinos. O plot é bem simplório no geral, só um grupo arranjando confusão com o outro. Não tem desenvolvimento de personagem ou progressão de relação como Freezing, só power ups. A protagonista feminina é uma cabeça oca que só sabe lutar e perdoa todo mundo, não importa o quão mal façam a ela. Não recomendo, só citei como curiosidade. Nota: 5.5

Anime parecido com Freezing [2]: Tem Tenjou Tenge também, que é até mais variado em termos de gênero (não é só mulher lutando) mas metade do anime é um flashback, as lutas são mal feitas, o protagonista é um esquentadinho cabeça oca e o final é extremamente anti-climático, então não recomendo não, vão ler o mangá em vez dele (que também não é muito bom, vale dizer). Nota: 6/10

Cross Ange 

Gênero: Ação, Ecchi, Romance, Gore, Sci-fi.
Diretor: Yoshiharu Ashino
Estúdio: Sunrise (Code Geass, Gintama)
Episódios: 25

Minha nota: 7.5/10
Trailer:


Sinopse:
(Opening) é a história de uma princesa banida de seu reino por causa de uma anomalia que possui. Mandada para uma espécie de prisão aonde será obrigada a combater dragões diariamente, ela vai evoluindo como pessoa, faz amigos e descobre vários segredos sobre seu mundo.

Review:

Esse anime apresenta um mundo interessante misturando sci-fi pós-apocalíptico e dragões, e vai expandindo a coisa toda a base de reviravoltas e explicações ao longo dos episódios. Ele tem um início bem polêmico, mas não dropem por causa daquela do ep 1 cena como eu quase fiz, tentem ir até o episódio 3 ou 4.

O grande problema de Cross Ange é que enquanto ele explica muita coisa outras são meio sem sentido ou nem são explicadas (o ep 22 é o mais descarado nesse aspecto). Para piorar tem vários diálogos e cenas meio trash, e mesmo pra quem curte ecchi a sexualização das personagens pode ser pesada até demais as vezes.

De bom esse anime tem o entretenimento, com ação e algum desenvolvimento do plot em todo episódio praticamente, a comédia romântica da Ange com seu par (mostra ele na Opening) e um excelente desenvolvimento da personagem principal. Ange, a protagonista, é um porre nos primeiros episódios, a ponto de você não ligar muito pro sofrimento dela, até acha que ela merece. Mas ela vai mudando com o tempo de tanto levar na cabeça.

Achei muito legal como não usaram o recurso de um evento mudar ela completamente. Por mais que ela passe por um bando de eventos traumáticos a mudança dela é bem gradual, e a essência da personagem se mantem intacta, ela só se torna uma pessoa melhor (e bem mais madura) do que era no início do anime. Isso é muito legal porque a diferença é gritante da Ange do começo e do fim, mas você acompanhou essa mudança de pouco em pouco a cada episódio. Não fosse alguns problemas do roteiro e partes trash esse seria meu top 3 dessa lista com uma nota 9, porque descontando os erros gostei da história e da personagem principal. Além de ser o único da lista com final fechado.

Shinmai Maou no Testament

Gênero: Ação, Ecchi, Fantasia, Harem, Romance.
Diretor: Hisashi Saito (Haganai, Sora no Otoshimoto)
Estúdio: Production IMS (Date a Live)
Episódios: 12 (+ OVA e S2)

Minha nota: 6.5/10
Trailer:


Sinopse:
(Opening e Trailer). O plot de Shinmai é bem simples, são várias facções (heróis, demônios e anjos) brigando entre si. O conflito inicial foca na filha do antigo Maou, na qual todas as fações tem interesse, seja em capturar para ganhar vantagem politica ou mesmo matar para se livrar de uma futura ameaça. A primeira temporada do anime pode se resumir a várias lutas para protege-la em meio a algum desenvolvimento de vários personagens que vão sendo apresentados.

Review:
Shinmai é um ecchi/ação bem mediano. O que gostei nele foi a tentativa de fazer algumas coisas diferentes, como separar o fanservice das lutas, algo que nunca tinha visto nenhum outro fazer. A obra ficou conhecida pelo fato de ser um ecchi muito mais hardcore que o normal, somado a um dos poucos protagonistas existentes em ecchis que realmente “interage” com as heroínas. Interações as quais eles tentam justificar com algo que faz sentido dentro da trama (pacto de succubus = ecchi, ou mais precisamente preliminares para o sexo, faz sentido).

O protagonista da obra é mais sério que o normal, sem soar antipático. Algumas lutas são legais, apesar de que na maioria do tempo não conseguem empolgar. O plot é simples, e determinados episódios funcionam bem, mas em outros os eventos parecem desconexos, os diálogos fracos, e o anime fica jogando você de um lugar para o outro sem dar a devida transição. Em suma, ele é bem corrido (o mangá e a novel, por serem mais cadenciados, funcionam melhor em comparação). Dá pra divertir se você for com expectativas moderadas, já que pelo menos ele foca em mostrar algum desenvolvimento e plot todo episódio – o que acho essencial mesmo em animes ecchi -, mas poderia ser melhor nas mãos de uma staff mais competente.

Já fiz a análise de chances de 3ª temporada de Shinmai Maou.


Extra: Existe Hagure Yuusha que é do mesmo autor de Shinmai. O protagonista é um pouco pior por ser um grosso com as mulheres e não ter objetivo na história fora proteger a irmã. Fora isso é um cara superpoderoso derrotando um inimigo atrás do outro com facilidade. Em termos de heroínas nenhuma se destaca. As lutas e animação são ok e a história dá pra assistir sem grandes problemas, mas não considero um ecchi lá muito bom. Nota 6/10.

Strike the Blood

Gênero: Ação, Ecchi, Fantasia, Harem, Romance.
Diretor: Hideyo Yamamoto
Estúdio: Silver Link (Baka to Test, Fate Illya)
Episódios: 24 (+OVA)

Minha nota: 7/10
Trailer:


Sinopse:
Strike the Blood (opening e ending) parece uma mistura do “mundo futurista com misturas de magia” de Index e características vistas em Campione (citado abaixo), como um ecchi mais acentuado (nada pesado, mas bem presente) e o sistema de power ups através de beijos mordidas nos climax.

Review:

O ruim desse anime está em sua constante repetição na solução de cada enredo. Se em Index o protagonista termina toda luta com um discurso moralista, um soco e depois um epilogo no hospital, em Strike the Blood todo clímax o duo de protagonistas solta um jargão (tá cheio de piada com ele na internet, nem o protagonista aguentava mais escutar), o protagonista libera um novo poder depois de chupar o sangue de uma nova garota e a luta é finalizada facilmente. No começo pode ser interessante mas com o tempo tudo fica enfadonho e previsível demais. A OST não ajuda muito também.
O protagonista é bem “vazio”, sem grandes motivações ou aspectos marcantes de personalidade.

O bom está no fato de Strike the Blood ser uma das poucas LN de ação/harém a conseguir manter todas as heroínas relevantes em foco durante seus arcos (e são muitas!). A maioria dos animes desse gênero fica girando em círculos: uma das heroínas ganha foco enquanto as outras ficam só de coadjuvante aparecendo de vez em quando. No arco seguinte troca, depois de novo, e continua assim até a LN acabar. Em Strike the Blood quando uma nova heroína entra ela ganha espaço para ser um elemento importante em todos os arcos, mesmo que a heroína mais focada seja outra. Eu dou meu braço a torcer porque ficar criando plots que permitam a todas aquelas personagens terem participações importantes não deve ser simples. E se o protagonista é meio genérico pelo menos a “maioria” das heroínas são caracterizadas decentemente, muito graças a ganharem partes que focam em seus pontos de vista especificamente, ao invés de só vermos tudo pela visão do protagonista.
A animação na parte da ação não é acima da média mas entrega um trabalho razoável, designs bonitos e bem definidos.

O final é outro ponto positivo, dando uma sensação de que se o protagonista ainda é denso e indeciso no presente ao menos parece que no futuro ele fez sua escolha (ou “escolhas”). Pra mim é um bom final, quase fechado até, já que dá pra ter noção de como a coisa caminhou dali pra frente. Eu realmente não veria o porque de uma continuação, o que todo mundo queria saber se ia acontecer no futuro já foi respondido no último episódio.

Já fiz a análise de chances de 2ª temporada de Strike the Blood.

Campione

Gênero: Ação, Ecchi, Fantasia, Harem, Romance.
Diretor: Keizo Kusakawa (Mondaiji, Kancolle)
Estúdio: Diomedea (Mondaiji, Kancolle)
Episódios: 12 (+ OVA e S2)

Minha nota: 7/10
Opening:

Depois de uma tragedia que nem mesmo ele entende direito Arata vai parar em uma escola de magia, aonde ao lado de 7 magas, vai começar a desvendar os segredos do seu passado, ao mesmo tempo que se mete em várias batalhas.

Review:

Trinity Seven é um ecchi escolar de ação bem comum, mas ao menos eles faz o comum bem. Tem uma boa variedade de heroínas, cada uma delas com seus passados e características distintas. O problema é que nenhuma se destaca muito em termos de carisma, o que levou quem assistiu a uma divisão de opiniões quando a “qual a melhor”. O protagonista é um tarado, o que gera várias cenas cômicas. Mas infelizmente ele fala mais do que faz……

A ação não tem nada fantástico, mas os efeitos especiais 2D são bonitos, e tem bastante movimento no anime, mantendo quem está assistindo entretido sem grandes problemas. A trilha sonora é um tanto quanto estranha, mas você se acostuma.

O anime se concluiu bem, explicando boa parte dos mistérios que rodeavam o protagonista, em um climax final respeitável. Então mesmo sendo um final aberto, não acho que ninguém vai ficar infeliz com ele.

Já fiz a análise de chances de 2ª temporada de Trinity Seven.

Menção honrosa (não tem romance, por isso não entraram):

No Game No Life

Gênero: Aventura, Comédia, Ecchi.
Diretor: Atsuko Ishizuka (Sakurasou)
Estúdio: Madhouse (Parasyte, Death Note)
Episódios: 12
Minha nota: 9/10
Opening:
Sinopse:

Dois irmãos viciados em jogos são transportados para um mundo fantástico por um deus, e lá terão que ajudar uma princesa falida a reconquistar seu reino, através de vários jogos completamente insanos que irão por sua inteligencia e perspicácia a prova.

Review:
No Game no Life tem uma premissa simples e consegue fazer algo muito divertido com ela. Os dois irmãos tentando dominar um mundo paralelo através dos jogos mais doidos possível mantem a trama em movimento o tempo todo, e o autor sempre dá sempre um jeito de colocar um pouco de fanservice no meio para quem gosta. Os personagens são simpáticos, divertidos e a animação bem competente. O único porem é a tendencia dos twists sempre previstos pelo protagonistas começarem a soar um pouco apelativos. Mas é algo que em apenas 12 episódios não incomoda muito. É com certeza outro bom exemplo de como fazer um anime ecchi bom.

Para o review completoclique aqui.

Shokugeki no Souma

Gênero: Shounen, Ecchi, Escolar.
Diretor: Yoshimoto Yonetane (Tiger & Bunny)
Estúdio: J.C Staff (Index, Prison School)
Episódios: 24
Minha nota: 9/10
Opening:
Sinopse:

O sonho de Yukihira Souma é se tornar um chef em tempo integral no restaurante do seu pai e superar a habilidade culinária do mesmo. Mas, assim que Yukihira se forma no ensino médio, seu pai, Yukihira Jouichirou, fecha o restaurante para cozinhar na Europa. Embora deprimido, o espírito de luta de Soma é reavivado por um desafio de seu pai, que é sobreviver em uma escola de culinária de elite, onde apenas 10% dos estudantes conseguem sua graduação. Será que Soma pode sobreviver ao desafio? (by ambient.tv)

Review:

Esse é o mais fora do escopo da lista, mas como ele tem “batalhas” o tempo todo, mesmo que não sejam exatamente físicas, eu acabei citando nas menções honrosas. E se tivesse romance eu até ficaria tentado a colocar no top 5.

Souma faz muito bem o que se propõe. Ele vai mostrando o dia da dia de vários alunos da escola de culinária, focando principalmente no protagonista, que acaba desafiando todo mundo que encontra pela frente.  As batalhas são muito divertidas e empolgantes, com direito a trilha sonora épica tocando no fundo enquanto a comida é preparada, por mais estranho que isso possa parecer vindo de um anime de culinária. O ecchi é bem presente através de várias cenas simbólicas dos personagens tendo orgasmos em sua imaginação (ou coisa semelhante) enquanto degustam a comida. O primeiro episódio dá uma boa ideia do que quero dizer, e é bem chocante para quem não espera.

Durante seus 24 episódios diversos personagens ganham desenvolvimentos e progridem de alguma forma enquanto batalham um contra o outro em várias competições. Mesmo Souma, o protagonista, que parece bem apelão a principio, acaba tendo que baixar a cabeça em determinado momento.

A parte técnica da obra é boa, mesmo que não consiga manter o nível dos primeiros episódios por muito tempo. Falta fluides, mas ao menos a obra é relativamente consistente. A trilha sonora é muito boa também e a direção competente, parecendo realmente apreciar o que estava fazendo. O único porem fica para o fato de que a segunda metade do anime é meia corrida em algumas partes.

Curiosidade: Esse é o anime ecchi com a melhor avaliação (nota) no MyAnimeList.

Extras:

Seiken no Qwaser (bela Opening e Ending). De todas as propostas de todos os animes ecchis essa é de longe a mais hardcore, Shinmai Maou pode ir mais longe em duas cenas Ecchi, mas nada até hoje ganhou em bizarrice do anime de ação aonde os personagens mamam em suas companheiras no meio das lutas, para ficarem mais fortes ou recarregarem sua “mana”. Muitos ecchis vieram de autores de hentai, mas Seiken no Qwaser é o único que de fato parece uma trama de hentai aonde cortaram o sexo para conseguir vende-lo como ecchi. O que eu não vejo problema (dentro da proposta), mas com certeza causa estranheza para quem assiste.

O anime tem designs bonitinhos e um protagonista sério (com chunnybiou, da-lê frases de impacto vergonha alheia no meio e fora das lutas!). Eles tentam dar um desenvolvimento a alguns personagens, caracterizá-los, dar passados traumáticos, ect. No geral, por mais doida que seja a proposta e alguns vilões bem trash, o anime funciona, se você conseguir aceitar a premissa doida de “mamar no meio da luta” e for com uma expectativa baixa.

Dakara Boku Wa é um dos animes mais fraquinhos desse post (apesar da Opening ser legal, e da Ending ter seu charme). Tivesse se mantido com suas lutas mais cômicas do que sérias e comédia romântica por todo o anime podia estar até no top 5, mas ao tentar mudar de tom para algo melancólico, pesado e sério no meio do anime a coisa fica bem complicada de acompanhar (tem partes pesadas na segunda metade que não tem nada a ver com o tom da primeira metade!). O anime não preparou terreno para a mudança de tom, então quando acontece do nada fica mais uma sensação de estranheza do que satisfação.

Outro problema é que na maioria das lutas o tempo que demora para os poderes das heroínas (Soul Reapers) se esgotarem é completamente atrelado a conveniência do roteiro. Em uma luta a energia que ela suga do protagonista se esgota em 1 hit, em outras dura por 2 episódios em lutas enormes que parecem usar 10x mais poder.

Mas se tem tantos problemas porque estou citando ele? Porque o design é bonito, o diabo da animação é bem acima da média para ecchis, as transformações, efeitos especiais e cenas de ecchi são muito bem desenhados (é a mesma staff de Yosuga no Sora, então o design e corpo das mulheres é bem similar). O destaque porem não é isso, mas o final com o protagonista e a heroína de fato entrando em uma relação séria de namoro em um final fechado (algo raro em ecchis). Recomendaria dar prioridade aos outros da lista, mas se os já viu tudo pode tentar esse aqui para uma experiencia diferente. Nota 6/10.

Machine Doll (opening) não é um anime ruim, e tem uma heroína super carismática, além de um protagonista respeitável. Por que não entrou no top então? Por que o climax final é bem sem graça, faltou algo mais grandioso ali. A história é sobre um garoto com uma boneca automata que busca vingança pelo que ocorreu com sua família. Acompanhamos ele em um colégio que treina usuários de machine dolls, enquanto tenta desvendar mistérios do passado, ao mesmo tempo que luta para permanecer vivo. A animação é razoável, mas o uso exagerado de CG nas batalhas incomoda um pouco. Não é um anime ruim, como eu disse o que falta nele é um final que impacte mais. Nota 6.5/10.

Relacionado de outros Top 5:

Kore wa Zombie Desuka e Sora no Otoshimono do Top 5 de Melhores Comédias com Ação são ecchis com ação, embora gastem a maior parte do seu tempo com comédia.

Você pode gostar...

  • Itsugo

    ???

    • Douglas Leite

      kkkkkk algo de errado não está certo….

  • Vi todos exceto sekirei que esta na minha lista para ver.
    O melhor ai para mim é o no game no life, seguido de shokugeki, strike the blood, HOTD e rakudai.

    • Yamada-kun🤔

      Lucio, vc q manja das onipresenças, tem Top Reis dos Haréns aqui no Intoxi?

      • Olha cara ainda não, mas até agora a disputa de tarado esta entre eu o yhan e o shiro, mas ninguém aqui tem harém não…( nem tem muita mulher aqui).

        • Yamada-kun🤔

          N é isso… É um top de harêméns dos animes

          • Sei que por mim é nagaserete airantou.

        • Yamada-kun🤔

          Haréns*

  • Joao paulo

    Espero q o dxd lance logo a 4 temporada

    • Deku

      Cara só espera, na minha opinião nunca vai ter

      Mas não sei né cara vai que lança de repente

  • Andrey Silva

    O Marco,corrige a parte de Campione.Esta com a sinopse e rewien de Trinity Seven.

  • Felipe Batista

    Faz um top, melhores animes de romance e drama.

  • Yu

    Vi todos mas nenhum se compara a High School DxD

    • Deku

      High School DxD, meu amigo é impossível alguém ultrapassat DxD

  • Deku

    EU QUERO CAFE

  • Lucas Samuel

    Marco se vc olhar a descrição do campione ta como o do trinity seven

  • lelezyn

    descrição de campione tá como trinity seven…

  • Kawaii

    Esse cross ange parece code geass inicialmente dps vira uma coisa cheia de sekisu assuhsuah

    • MxArsenal

      kkkkkkkkkkkkkk ri alto com seu comentario!

      • Izana-sensei

        kkkkkkkkkk nossa. que bom que fiz alguém rir kkkk

  • Luis Henrique

    putz o blog e 10000000 vezes melhor pra acompanhar,não desmerecendo o canal mas aki e mt bom

  • MxArsenal

    Encontrei esse site a pouco tempo. mas ja me divertido muito com os animes citados aqui. e as analises de provável próxima temporada tbm são muito boas. esse cara manja muito dos animes, e todas as indicações valem muito a pena ver! Faz anos q eu buscava algum lugar que indicasse animes, tem muitos sites q postam animes novos todo dia. mas é cada anime mais bosta q o outro. Aqui tem anime antigos e novos, mas o q todos tem em comum é q são muito bons! Muito obrigado pelas indicações cara, seu gosto pra animes e suas analises são perfeitos! Continue assim, indicando felicidade e diversão garantida a todos a sua volta!!!