[Review] Koisuru Natsu no Last Resort – Romance em uma ilha tropical

 

Sinopse:

Soutarou é um universitário que precisa estar sempre trabalhando para pagar a faculdade. No entanto, ele se encontrava em uma situação delicada no trabalho. Até que um dia, Umi, sua caloura e única amiga, perde um objeto precioso um certo dia e ele passa o dia inteiro procurando até encontrar, mas por não ter ido trabalhar acaba demitido.

Para compensar o que ele fez, Umi contata uma amiga que tinha uma excelente proposta a oferecer: Trabalhar em um resort tropical que fica em uma ilha longe dali. A proposta era tentadora, porém, apenas mulheres eram aceitas lá, então Umi decide mentir dizendo que Soutarou é seu namorado para conseguir fazer ele ganhar a vaga.

O lindo e tranquilo resort carrega alguns mistérios, como não ter nenhum cliente, e um grupo de garotas que superficialmente parecem normais, mas que carregam seus próprios dramas em segredo.

Desenvolvedora: Pulltop Latte

Ano de Lançamento: 2014

Duração: 10 a 30 horas

Traduzido: Sim (Inglês)

KoiRizo tem uma premissa curiosa. O protagonista trabalhando em uma ilha deserta com um bando de garotas (tem um outro cara, mas ele não conta…), soa como algo que muitos bateriam o olho e descartariam em seguida. Entretanto, surpreendentemente, a obra sequer se assemelha a um harém, no sentido que nenhuma das garotas nutre sentimentos românticos pelo protagonista até você investir em uma das rotas.

Por conta disso, as interações entre os personagens acabam sendo bem divertidas de acompanhar, quase como um grupo de amigos de férias em uma casa de praia. Claro, isso acaba pesando para o seu senso de humor, algumas partes eu ri bastante e me diverti em outras. Mas por ser algo muito mais pessoal, vai de cada um.

Como de costume, suas escolhas guiam os sentimentos do protagonista. Apesar de ser, sem duvidas, uma visual novel de romance puro, cada uma das rotas trás temas diferentes consigo junto com o drama pessoal da heroína. O protagonista é razoável, tem seus desenvolvimentos em uma ou outra rota e seus momentos de brilho em todas, mas longe de ser algum personagem muito atrativo.

Já as heroínas tem cada uma seu charme próprio, além de um bom desenvolvimento durante suas respectivas rotas. Embora a VN tivesse um clima mais leve anteriormente, em algumas rotas o drama acaba ocupando boa parte do tempo. Algumas vezes um drama mais leve, outras muito mais pesado, mas definitivamente presente em todas as rotas do jogo.

Em alguns casos isso pode ser um empecilho para alguns, pois como uma VN de romance, passar boa parte da rota da heroína só com drama acaba prejudicando o romance em si. Afinal, acompanhar um romance mal desenvolvido dá a sensação de ser forçado, logo o proveito acaba sendo menor.

Mas não significa que é ruim, só abre espaço para o drama ser mais significante já que a VN não consegue conciliar ambos na maioria das rotas. Uma das minhas rotas favoritas não tem um romance tão atrativo, mas em compensação o drama é bem feito e o tema era do meu maior interesse. Depende das suas expectativas somente.

Se tratando de temas, cada uma das rotas tem temas específicos. Nesse aspecto é onde eu mais me atrai pela obra. A VN tem uma aproximação mais realista em alguns tópicos como a psicologia humana pra certas situações, um pouco de filosofia, arte e literatura, além de mais alguns que seria spoiler se eu contasse.

Eeh, acho que já ouvi falar, mas não tenho certeza…

Novamente, como uma VN de romance, tais temas estão longe de serem aprofundados em um nível maior. Mas ainda assim é melhor um romance com alguma complexidade por trás do que nada, certo? Bom, considerando que algumas vezes o romance não é bem trabalhado, imagino que decepcionaria muitos mesmo assim haha.

São 5 rotas no total, você pode segui-las na ordem que preferir e não é realmente necessário jogar todas. No entanto, a VN ainda tem uma história por trás e uns mistérios que quando você os descobre, tudo começa a fazer perfeito sentido.

Tirando os temas, outro dos pontos fortes para mim foi a ambientação. A boa combinação da arte que é bem bonita e transmite bem as paisagens do resort e a trilha sonora fazem o ambiente da ilha parecer bem mais palpável. Você realmente consegue sentir o quão especial o lugar é.

A trilha sonora não é nada “oh meu deus, preciso baixar isso”, mas ela entrega o clima do resort melhor do que o imaginado. Tanto em anime quanto em visual novel, a trilha sonora faz um papel fundamental em dar vida as situações e ambientes, então mesmo que não seja algo especial, dar vida a uma obra que gira em torno desse resort foi essencial.

Por fim, a VN contém um bom número de cenas de sexo, umas 4 por heroína. O que, para uma VN dessa duração, é até demais. Mas não é incomum, então fica o aviso de antemão já que quem for jogar irá topar bastante com cenas do tipo ao longo das rotas.

Talvez não seja uma pérola preciosa no mar de VNs que existem, mas como uma simples VN de romance, KoiRizo até que se sai muito bem. Embora eu tenha dito que em algumas rotas o romance não é tão bem trabalhado, em outras é bem satisfatório, então para quem busca um bom romance para ler, não se sintam desencorajados. Aproveitem o romance de umas, ou o drama de outras, pois é uma boa VN para quem ainda está desacostumado. Não é muito longa, e é bem leve, mas ainda tem alguns pontos interessantes (E de quebra pode ser de um gênero que você gosta).

Avaliação:

Roteiro: 7.5/10

Personagens: 6.5/10

Trilha Sonora: 8.2/10

Arte: 8.8/10

Gameplay: 8/10

Entretenimento: 7/10

Nota Final: 7.6/10

Testarossa

Escritor amador, fã de animes, mangás, light novels, visual novels e outras coisas da cultura japonesa. "Nunca tenha certeza de nada, por que a sabedoria começa com a dúvida."

Você pode gostar...