Review – Haikyuu!! : O esporte levado a sério

 

Misturando aspectos comuns de animes de esporte, como superação e companheirismo, com uma pegada mais realista que o normal, Haikyu!! se torna uma experiência diferenciada e prazerosa, que pode agradar até mesmo a quem não costuma gostar do gênero.

Sinopse

Haikyuu conta a história de dois estudantes que entram na mesma escola depois de se enfrentarem anos atrás em um torneio. Um deles é absurdamente talentoso e experiente, mas é arrogante e falha na interação com seus colegas de equipe.
O outro tem vigor, talento e uma agilidade absurda, mas sua falta de técnica, experiencia e altura o prejudicam.
Agora eles terão que evoluir e trabalhar juntos para tornar o atualmente fracassado time de volei do colégio no campeão que já foi um dia.
Análise
Haikyuu tem um primeiro episódio magnifico. Ele consegue explicar as motivações e a luta do protagonista para conseguir praticar o esporte pelo qual é fascinado desde criança de forma emocionante. Tudo isso no meio de uma partida de vólei na qual ele enfrenta seu futuro companheiro de equipe. O roteiro, direção e animação desse episódio são fantásticos.
Após isso vem a reunião dos dois em um colégio, anos depois. Apartir dai o anime começa a variar entre construção, exploração de personagens, treino e partidas. Os episódios em geral fluem bem, mesmo com um bocado de explicação sobre o esporte em alguns deles. As partidas, obviamente, são a melhor parte, principalmente quando o anime entra na fase do torneio regional.

 

O uso de metáforas visuais é bem comum. “O rei solitario”, “as asas do time”, “a muralha de ferro”, ect. São todos muito bem colocados e alguns como “a abertura da muralha de ferro” são bem emocionantes. As reflexões e flashbacks misturadas a cenas em câmera lenta, já conhecidas do gênero, acontecem bastante também.
O desenvolvimento de personagens é bem forte em Haikyu. Todos os personagens tem algo para melhorar e estão sempre evoluindo. Em um episódio, por exemplo, eu reclamai internamente que o ataque combo do Hinata com o Kageyama (os protagonistas) estava ficando muito repetitivo e tinha pontos falhos. No episódio seguinte o autor mostrou exatamente isso, e eles tiveram que tentar algo diferente no meio da partida – mesmo falhando na maioria das vezes, por não terem treinado aquele novo tipo de ataque. Após isso Hinata teve que começar a treinar ataques diferentes, que apesar de mais fracos que o primeiro, o permitiam evoluir individualmente como jogador. Com o tempo outras de suas falhas vão sendo exploradas. Kageyama, por outro lado, precisa parar de se isolar e confiar mais no seu time, ao invés de jogar “sozinho” e de forma arrogante, como estava acostumado a fazer. O desenvolvimento dele nesse aspecto pode ser visto do começo até o final do anime.
É importante salientar que a evolução dos personagens é gradual. Existe toda uma construção para eles chegarem até ali. Não tem evoluções mágicas com alguns dias de treino.

 

 

 

Inimigos também são explorados e desenvolvidos durante a partida, como é comum em animes de esporte. E fica bem fácil se simpatizar com alguns deles.

 

 

Mas de tudo que vi, o realismo, foi o maior destaque de Haikyuu (pra mim). Não tem super poderes ou ações que você possa considerar absurdas no anime. Tudo ali é real e possível. Também não existem viradas inexplicáveis ou poder da amizade realizando milagres.
Quase sempre que um personagem vai tentar algo que não treinou o suficiente ou algo que pode mudar o rumo da partida ele falha. O time principal pode perder ou ganhar, não existe garantias, não existe protagonismo. Todos os personagens tem falhas, tanto os adversários quanto os personagens centrais, e o autor faz o máximo para deixa-las claras como algo a ser superado ou algo que não pode ser superado, e portanto, deve ser contornado de alguma forma.
Gostei como a obra foca no valor do talento individual também. Esforço é importante, mas tem barreiras que ele não supera. É legal como isso é deixado claro sem soar como uma mensagem derrotista.

A última partida é sem duvidas o ponto alto, porque depois de todo aquele suspense e adrenalina eles perdem! Em suma, o autor abre a possibilidade de derrota em qualquer torneio apartir de agora. Isso torna tudo bem mais emocionante, já você nunca vai ter aquela certeza incomoda de que não importa o quão difícil seja o jogo, o time do protagonista sempre vai ganhar. Reparem também que eles não chegam nem as quartas de final. Se isso fosse um anime de batalhas seria como nunca ter certeza se o time aliado vai ganhar a luta.
Além disso, eles perderem também deixa tudo mais pé no chão. Eles evoluiriam absurdamente do inicio da série até ali, mas não existem milagres aqui, e o outro time, apesar de inferior isoladamente, era superior em termos de conjunto e experiencia.

 

O episódio final é muito bonito, de diferentes formas, concluindo e refletindo sobre tudo que aconteceu durante a série. Mesmo quem não curte episódios mais reflexivos deve acabar gostando. E claro, fica aquele gostinho bom de “quero ver mais”.

Aspectos Técnicos

A direção de Haikyu é excelente. Ela sabe dosar e dar o ritmo certo as partidas, assim com emocionar nas partes mais dramáticas. Só algumas explicações sobre o esporte que deixam a coisa mais lenta de vez em quando. Mas como não vejo como contornar ou ignorar essa parte sem que hajam perdas significativas, não considero como um defeito da direção ou roteiro.
A animação é acima da média na primeira metade, mas cai na segunda e fica no que seria considerado mediano com alguns bons cortes aqui e ali.
A trilha sonora é fantástica e muito mais notória que o normal para um anime de esporte. É um aspecto que vale a pena prestar atenção.

Conclusão

Haikyuu é um anime que como qualquer obra de esporte trata do valor do trabalho duro e do companheirismo, mas faz isso sendo realista e colocando limites humanos nas coisas. A evolução dos dois protagonistas ao longo da série é impressionante. Hinata evolui tecnicamente como jogador, Kageyama evolui psicologicamente e como ser humano.
Indico esse anime a qualquer pessoa, mesmo a quem não gosta de animes de esporte (eu mesmo não gosto, esse foi a única exceção até hoje). Ele trata as coisas com um realismo admirável, que o difere de muitos animes desse gênero. Todo o elenco também é muito carismático, e os episódios, em sua maioria, passam voando. Algumas partidas como a do episódio 23 te fazem quase pular da cadeira com a adrenalina que elas passam, o que é muito bom.

Direção/Roteiro: 9.5/10
Animação: 8/10
Soundtrack: 10/10
Entretenimento: 9/10
Nota final: 9.5/10

Trailer:

 

Você pode gostar...

  • Vinícius Custodio

    nunca curti volei, mas esse anime é foda, me fez ver com outros olhos, historia empolgante, tanto que comecei a acompanhar o manga e fico toda semana esperando, as opening são perfeitas, otimas escolhas de musicas

  • Ghost_Shell

    Gostei da 1 temporada com algumas partes chatas aki eali mas no geral gostei, mas kuroko eh melhor , assista

    • Rocha

      opa, vlw pela indicação.