Review – No Game No Life

Um dos melhores animes com enfoque no entretenimento puro e simples que eu já assisti.

Sinopse

Sora e Shiro são dois irmãos NETs (reclusos) especialistas em todo tipo de jogo conhecido. Entediados com o mundo real eles acabam sendo desafiados por um deus de um mundo paralelo. Após perder para os irmãos em um jogo de xadrez esse deus os convida para seu mundo, aonde a violência física foi banida e todo tipo de conflito tem que ser resolvido com jogos.
Review
No Game No Life tem um início de dar inveja a muito anime. Ele consegue te situar quanto a situação dos personagens principais – dois irmãos malucos, cheios de manias, traumas e com uma convivência bem peculiar – e apresentar um mundo novo e cheio de regras próprias em apenas 20 minutos. Até na famosa e problemática parte dos longos monólogos explicativos a obra consegue se virar bem, ao fazer uso de uma dinâmica ágil e constante exemplificação gráfica.
O fim do primeiro arco deixa bem clara a proposta da obra e o que esperar dela dali pra frente. Basicamente o objetivo é “dominar o mundo”. Uma proposta um tanto quanto bátida, mas que acaba funcionando muito bem aqui graças a execução rápida dos episódios, de modo a deixar quase imperceptível a passagem de tempo quando se está assistindo o anime. É assustador como o enredo consegue executar tantos eventos grandes em sequência e com todos “parecendo” grandiosos.

Fanservice é o que não falta! 
O anime faz jus ao material original usando e abusando de fanservice o tempo inteiro, o que pode incomodar a quem não gosta muito do gênero, mesmo a maioria do fanservice é auto-sátiro e bem contextualizado – muito graças a personalidade louca e pervertida do protagonista. Só não gostei das cenas do banho, já que diferente das outras elas soam como fanservice comum e apelativo visto em qualquer outra obra ecchi (e pra piorar essas cenas são repetidas pelo menos umas 4x durante o anime).

Ponto para os ótimos personagens, mesmo que alguns acabem não sendo muito desenvolvidos pela falta de tempo e outros sejam usados mais como alivio cômico do que outra coisa, né Steph?
A adaptação consegue balancear um conjunto enorme de gêneros muito bem, indo constantemente da comédia a tensão e de volta a comédia. Até quem quer um pouco de drama é atendido depois da metade do anime – aonde a história desacelera um pouco para explicar mais sobre o antigo Rei do país e sobre o passado da personagem principal. Essa parte é bem feita de modo geral mas quem for mais atento vai notar um certo exagero na aposta do protagonista (haviam outros métodos menos dramáticos para se conseguir a mesma coisa). Destaque para a integração da ending nessa parte, é genial.

O confronto do final do anime é bastante satisfatório e segue o padrão que a obra apresentou desde o início, com comédia, tensão e reviravoltas, só que desta vez com mais ação. A irmã do protagonista que até então servia mais de apoio do que outra coisa também recebe um pouco mais de destaque nessa parte. (Particularmente achei que a sequência no episódio 11 junto a do episódio 6 as melhores da obra, absurdamente frenéticas e variando de comédia a partes sérias em loop.)
[SPOILER] O único ponto fraco da obra é o exagero do autor em fazer tudo sempre sair como o protagonista planeja (nem Lelouch com seu intelecto superior e um Geass conseguia tamanha previsão dos movimentos do oponente). Em quase todos os clímax da pra notar que se o oponente tivesse feito qualquer coisa diferente por menor que seja o resultado teria sido bem diferente. Parece inteligente, mas pensando logicamente e levando em conta as probabilidades daquilo tudo acontecer acaba parecendo exagerado, já que não havia como prever com exatidão vários daqueles acontecimentos.
A impressão é que autor guia o clímax como deseja e no final o protagonista diz que foi tudo como ele planejou. Funciona, mas não é muito bonito/lógico quando analisado friamente e pode ficar enfadonho se repetido muitas vezes (saber que o protagonista vai sempre terminar triunfante dizendo que estava tudo dentro dos seus cálculos não é muito legal). [FIM DO SPOILER]

O epílogo deixa um sentimento de satisfação e perplexidade devido a escolha de terminar o anime em uma inesperada reviravolta. Por um lado tem aquela sensação de “eita, que isso?!” e como propaganda para as pessoas irem ler o original é ótimo. Mas para quem quer ficar só com o anime vai ser meio frustrante se não houver continuação (esperamos que haja).

Outro detalhe é que o final usado no anime é o do volume 6 da Light Novel mas o resto usou apenas o material do volume 1, 2 e 3. Ou seja, o roteirista vai ter trabalho para restruturar o roteiro caso haja uma segunda temporada, já que ele revelou o que seria a reviravolta do volume 6 no final do volume 3 (o que me faz pensar que eles com certeza não estavam com uma segunda temporada em mente quando fizeram o anime).

Análise Técnica
A direção aliada a um bom roteiro são fantásticas, conseguindo deixar os problemas do original menos notórios, além de exacerbar seus méritos e qualidades ao máximo. Os timings cômicos são excelentes, conseguindo emendar uma piada atrás da outra de modo funcional. Tem também muitas sequências inspiradíssimas fazendo referências a outras obras e são puro mérito da direção. 
Achei a trilha sonora bem competente de modo geral e a animação acima da média na maioria do tempo (apesar do uso de cores e filtros escolhidos incomodar um pouco no início).
Conclusão
No game no Life é um dos animes mais divertidos que eu já vi e tendo lido o original também posso afirmar que é um dos mais bem adaptados também. Dentro da sua proposta a obra é perfeita e se não fossem alguns exageros aqui e ali eu não teria do que reclamar. Recomendação máximo para qualquer pessoa que curta uma boa mistura de aventura e comédia.
Animação: 9/10
Direção e Roteiro: 9/10
Trilha Sonora: 9/10
Entretenimento: 11/10
Nota final: 9/10
 

Você pode gostar...

  • Saudações

    No Game No Life arrisco um 9/10, honestamente falando. Conseguiu cravar seu espaço entre os melhores da temporada graças à maneira escalafobética com a qual tratou seu enredo, elenco e universo.

    A insanidade nos jogos, nas ações dos personagens e, sobretudo, em cada troca de ideias/palavras sobre as possíveis “apostas” fizeram toda a diferença.

    Entretanto devo discordar de ti quanto ao ponto fraco da obra…
    Não achei tudo tão fácil assim. Principalmente nos jogos mais difíceis, quando parecia estar à perder para a dupla Sora e Shiro…
    Entretanto, as situações desenvolveram-se bem e o anime merece um bom crédito por isto, honestamente.

    No mais, acredito que este anime possui ganas o bastante de aparecer para fazer mais alguns estardalhaços ainda. Talvez com uma futura temporada de sequência. No mais, aguardar é preciso.

    Até mais!

    • Marco

      Não é a questão do fácil ou difícil que critiquei mas sim da previsibilidade. Eles suaram mais no último arco mas depois de bolada a estratégia era “tudo parte do plano”, sendo que tinham coisas ali impossíveis de prever com análise, não importa o quão inteligentes eles fossem.
      Basicamente “quase todo” clímax acaba igual, com o protagonista explicando seu plano mirabolante, no qual usou de base diversas previsões dos movimentos/decisões que o inimigo iria tomar.

      • James Xavier

        eu entendo que vc quer dizer, ate pq no code geass o protagonista e mais humano(perceptivos a erros e falhas) e menos “deus” como no NGNL, mas nao e que ele quer ser um deus mesmo kkkkkkk, no mais boa analise, so gostaria que coloca-se spoilers do que vai acontecer mais pra frente da onde terminou, mas beleza!

      • Resumindo desse jeito… não basta ganhar, tem que esfregar na ferida aberta… Mas praticamente falando eu acredito que era mais o caso de demonstrar boa desportividade…

        Eu acredito que seja algo assim:

        “Eu ganhei, e vou te ensinar como eu fiz, daí quando a gente jogar de novo você não vai cometer o mesmo erro e pode até tentar o meu truque contra mim, que tal?”

        É claro, soa como um soco no orgulho de quem acabou de perder, mas agora que o malfeito já foi feito o que sobra é juntar os cacos, sacudir a poeira e tentar de novo…

        Soa meio utópico… e a personalidade do Sora não ajuda muito… (ele fez a Crammy chorar uma vez, não?), mas tem muito material em que o único meio de ganhar é “garra, força de vontade, e o grito da galera”, que eu considero uma mudança bem vinda…

        Sinto muito por jogar futebol mal pra caramba…

        Até mais ver
        mr. Poneis

        • Marco

          A explicação não era pra caçoador do inimigo ou ensinar alguma coisa, mas sim para o público/telespectador que ficaria completamente perdido ou acharia tudo uma maluquice sem tamanho caso o protagonista não explica as atitudes que tomou.
          É o mesmo esquema dos contos do Sherlock Holmes aonde ele resolve o mistério e só no final da história ele conta passo a passo qual foi seu raciocínio lógico para chegar a resolução.
          A vantagem é que tudo parece muito inteligente quando o personagem explica como e porque fez tudo daquele jeito. A desvantagem é que se não for feito direito e as explicações não tiverem muita lógica (como acontece em algumas dadas em NGNL) o que era pra ser mérito acaba virando defeito.

          • De fato, eu esqueci da Steph! Em verdade eu sou tão lento quanto ela, então deve ser aí que eu meti os pés pelas mãos… Só para me situar melhor estavamos discutindo um recurso de narrativa com interesse no melhor desenvolvimento da estória e não a motivaão dos personagens envolvidos…

            Eu me empolgo muito rápido e perco o quadro geral das coisas fácil fácil. Sinto muito.

            Vendo deste ponto de vista outro ponto que pesa contra mim é o fato de não ler muitas novels como deveria… Tem tantos mangas e animes na minha lista… Para piorar o meu quadro confesso ser um herege que nunca leu a Sir Arthur Conan Doyle… biógrafo oficial de Sir Sherlock Holmes.

            Não tenho como discutir como uma ferramenta pode e/ou deve ser usada ao trabalhar o funcionamento de uma estória, logo nestes termos me resta conceder a vitória como sendo sua e admitir que em termos de leitura eu ainda sou inferior (experiência é tudo).

            Invocar o Sherlock foi algo bastante astuto…

            Até mais ver
            mr. Poneis

          • Rafael Moura

            Mas a Steph também é inteligente a beça, tanto que é basicamente ela que governa o país, cuida das leis etc… Quando eles anexam os territórios é ela que cuida de tudo. E em questão de jogo ela pode ter começado mal mas atualmente entre os Imanitys ela só perde pra Sora e Shiro, e talvez a kurami. Ela é especificamente o exemplo do que o sora fala de que não se deve subestimar os fracos.

          • Explicando a Steph em termos de status de RPG, seria mais ou menos colocar todos os pontos dela em inteligência (e carisma) e sacrificando os pontos em sabedoria. Ela estudou bastante, é esforçada e entende de muitas coisas, mas não capta as nuances ou as entrelinhas (pelo menos até onde o episódio 13 deixa a entender),

            Este é o fator que deixa ela fraca contra blefes e detalhes (loopholes) nas regras. Foi assim que ela perdeu no pedra-papel-e-tesoura por exemplo. Ela é inteligente o bastante para figurar todas as possibilidades (outcomes) em poucos minutos, e assegurar a jogada mais segura mas falhou miseravelmente em perceber o que o Sora queria com aquele jogo…

            É uma das minha vergonhas, mas eu temo ser assim também… provavelmente você deve conhecer uma ou duas pessoas assim. Pessoas que são verdadeiramente “estudadas”, mas quando se arriscam a falar de algo que não entendem, passam vergonha.

            Até mais ver
            mr. Poneis

          • Rafael Moura

            Mas ela não é fraca nos jogos, ela simplesmente não é mais forte que o Sora e a Shiro.

          • … e volta e meia a piada recorrente em omakes é ela perdendo em tudo que é jogo que ela participa… Mas isso não tem nada haver com ser fraca no jogo em si… até onde jogos justos vão, com regras detalhadas, com níveis equilibrados, e chances iguais… ela poderia muito bem se joga-se sério…

            O que sempre faltou para ela é a malícia… Vamos ver se esse exemplo é fácil de entender… Com Inteligência sendo diferente de Sabedoria… Tanto como a teoria é da prática.

            É o mesmo que você oferecer para ela uma porção de equações para ela resolver e ela ser capaz de fechar tudo em minutos e você contar para ela que Papai Noel existe e ela acreditar…

            Citando um comentário anterior seu… era ela quem cuidava de tudo no reino, mas mesmo assim ele ia mal das pernas… Agora que eles tem Kuuhaku para cobrir todas as áreas que ela não dominava… a situação do reino esta ok de novo…

            Não é que ela seja fundamentalmente FRACA, nem melhor ou pior que o Sora ou a Shiro… ela só não tinha o necessário para ganhar… e o ponto principal deles é isso, que a humanidade (Immanity) tem muitas qualidades mas isolados isso não significa nada… O forte deles sempre foi o trabalho em equipe… simples assim…

            Até mais ver
            mr. Poneis

          • Rafael Moura

            Na novel, as partidas que ela joga com os outros acabam com ela vencendo, e muitas vezes também usando truques e malicia. Ela só perde mesmo Pro sora e pra shiro ( não lembro de ve-la jogando com a Izuna, mas ganhou o respeito do avô dela)

          • Eu não tive a oportunidade de ler as novels ainda, mas hei de admitir que fui um tanto longe em considerar a Steph sem malícia… Nos primeiros episódio ela realmente tem o suficiente para considerar todos os possíveis resultados de um partida de jankenpon e apenas aceitar o desafio depois de estimar que as suas chances de vitória eram superiores as de seu desafiante… só faltou mesmo aquele pulo do gato ao não considerar que os empates estavam contra ela…

            E também tem aquele episódio em que ela vai e desafia Kuuhaku em todos os jogos em que ela considera ter uma chance justa de sucesso até os jogos em que ela acreditava que estavam inteiramente para sorte e sem abertura para trapaça. E termina do jeito que terminou…

            Dito isso, acredito que posso deduzir que mesmo com níveis variados de malícia e antecipação, todos os adversários que a senhorita Dola enfrentou e venceu até então, ao menos compartilhavam de um trato similar, que é o de levar jogos tão a sério quanto qualquer outro habitante de Disboard faria (visto o valor das apostas)… ao menos até conhecer o Sora e a Shiro…

            Talvez eu tenha que rever minha outra afirmação sobre o único valor da raça humana ser o trabalho em equipe também…

            Até mais ver
            mr. Poneis

          • Rafael Moura

            Lembrando que quem venceu a Guerra foram os humanos.

  • Leonardo Henrique

    Tá no meu top da temporada junto com Mahouka e Black Bullet q ainda estao em andamento.
    Foi um ótimo anime, uma surpresa até.
    Eu n esperava q fosse envolver politica, pensei q ia ser só jogos bobinhos msm.
    Infelizmente eu tbm axei um pouco forçado, principalmente no ultimo episodio, aquele lance dos Npcs e da Steph –‘
    Enfim, vai fazer review de outros animes Marco ?

    • Marco

      Fora NGNL gostei muito de Chaika, Sidonia e Haikyuu, mas os dois primeiros vão ser split cour e continuam em outubro, então vou esperar a segunda parte acabar pra escrever um review. Haikyuu é 25 episódios então tenho que esperar acabar mas vai ganhar um review também.
      O que não citei ou foi pra lista do “dá pra ver” ou então já dropei.

      • Leonardo Henrique

        Vou ver Chaika e Sidonia agr q alguns animes já acabaram, Haikyuu vi até o 7, tbm vo continuar.

  • Orgin

    Sobre os spoiler do Volume 6, uma curiosidade é que ele, originalmente, era um final original para o Anime. O episódio 12 estava pronto desde dezembro e a novel 6 só foi lançada em abril. O autor, para não deixar com muitos problemas para o pessoal que for ler o trabalho original, adicionou esta cena no final do Volume 6. Tem até uma declaração dele no twitter: https://twitter.com/yuukamiya68/status/481828013634379777

    • Marco

      Interessante, vão ter que chamar o autor pra emendar esse negócio decentemente caso haja uma S2 então.

    • Que bacana, queria ver mais dessa cumplicidade do autor com a adaptação. Muito bom porque se o anime tiver uma sequência, eles não vão ficar tão perdidos quanto ficaria se não houvesse uma referência na LN.

  • sorticah

    tu sabe me dizer onde tem a LN de no game em portugues?

    • Marco

      Se tem traduzido em português eu não sei aonde. O site mais famoso de tradução de LN em português (Light Novel Project) não tem nada.

      • sorticah

        valeu… mas é uma pena não traduzirem NGML, mas quem sabe depois do anime eles comecem a traduzir XD

  • The Brand

    Acho que essa questão do início bem legal de observar, porque dá para contar em uma mão animes que tiveram um começo muito bom, sempre acho forçado o começo dos animes e sempre senti que faltava alguma coisa em todo anime que via, com o passar da história fica legal os meus animes preferidos, mas é uma grande questão pro escritor ter todo um mundo e uma história na sua cabeça, e na hora de passar pro papel, pensa: “Ok…Por onde eu começo?”, já tentei escrever histórias longas para passar o tempo e essa parte sempre me incomodou, penso que se essa parte já é difícil para o escritor, imagina na hora de passar para uma adaptação, realmente é um trabalho complicado, por exemplo, o mangá do Soul Eater tem um início que chega a ser desprezível de tão ruim que é (tanto em traços como história e com os fanservices extremamente forçados) e o início do manga quando foi passado para anime foi dividido em 3 Ovas, ou seja, um convite dizendo “pule isso aqui”.
    Quando comecei No Game No Life fiquei muito surpreso com o quanto a obra tinha começado bem, até me lembrei de Kaminai (outro anime que teve um bom começo até que do nada a história muda de rumo para um monte de pessoas estranhas dentro de uma Combe tentando salvar o dia), esse provavelmente foi o fator que me deu interesse na obra.

  • Ótima Review Marco, como sempre os redatores do blog estão de parabéns. Realmente No Game No life foi um anime bem divertido, o enredo foi bem desenvolvido, tirando o fato que você citou do protagonista parecer um deus prevendo tudo, mas tirando isto foi um ótimo anime, eu gostei bastante dele e espero uma segunda temporada para explicarem aquele final e além disso acho que são boas as chances dele ter uma segunda temporada, pelo que acompanho nos post de vendas de Light Novels do blog nosso querido No Game No Life ganhou um bost esplendido e estava vendendo bem, mas tudo depende do interesse da produtora e da editora, em suma dos benditos olhinhos puxados de continuarem a animarem a Light Novel – Mas que vai dá trabalho para o roteirista a continuação (Caso eles decidam produzir uma S2) isto vai.

  • Sora

    Boa review MadHouse surpreendeu com No Game No Life, a staff merece os parabéns pelo ótimo trabalho na adaptação da obra,mas do que merecido a nota dada em questão os dois últimos episódios foram incriveis,os personagens são bem carismáticos mesmo vide a Steph kkkkk,acho que um dos poucos defeitos mesmo é o que vc citou nem L conseguiria prever tudo lol,isso deles terem usado o volume 6 para o final do anime vai dar problema para uma continuação,só lembrando Jibril Best Girl^^.Vi no MAL que Ars Nova vai ter um filme para 2015,espero que de continuidade a série de TV.

    • Leonardo Henrique

      Ars Nova o/, q bom, eu gostei do anime, e Jibril ( ͡° ͜ʖ ͡°)

  • Caiops

    Madhouse há um bom tempo anda voltando a ser aquele grande estúdio, NGNL mostra claramente isso

    • Leonardo Henrique

      HxH tbm o/

    • StyKaLaSh

      HxH principalmente!

    • Já Mahou Sensou…

      • Leonardo Henrique

        Vish, esse ai….

  • Isabella Mendes

    O anime foi totalmente abaixo das minhas espectativas, eu não gosto de ecchi quando o anime é pra ter mais foco na história em si. E as cenas de banho foram MUITO desnecessárias.
    Os jogos tinham vários erros, como o último, por exemplo, eles tinham munição limitada, mas atiravam sem parar. E acho muito besta essa coisa deles nunca perderem, ir do jeito que eles imaginaram, etc. Eu gosto de losers -q
    A única personagem que eu consegui gostar foi a Steph (ainda com ajuda da dubladora)
    Dei um 8/10 querendo dar 7.

    • Leonardo Henrique

      Tbm nao gostei mto deles nunca perderem, mas talvez seja pq eles venceram o Deus daquele mundo, perder p outra pessoa ia ser meio estranho.

    • Mas eles perderam um monte… naquela fase para decidir quem dos dois seria o representante de Elchea… eles ganharam um do outro 158 vezes um contra o outro e empataram outras 184… separados eles não são lá essas coisas…

      E exatamente agora você pensou! “Mas isso não conta essas derrotas foram todas offscreen (não foram mostradas), e eu queria ver eles perdendo como “Kuuhaku”! Eu gosto de losers”

      Bom, eles mesmo admitiram que eles perderam no ‘Jogo da Vida’. Com todos os seus talentos, qualidades e carisma que eles demonstraram em Disboard. No mundo real, o nosso, eles são otakus/neets/hikikomori… basicamente Lixo

      Um mundo em que se as pessoas perdem demais não tem valor, se elas ganham demais elas são tratadas do mesmo jeito… Nestes termos, acredito que neste ponto a história deixou bem claro a que veio…

      Sinto muito acredito que me exaltei…

      Até mais ver
      mr. Poneis

      • Isabella Mendes

        O que me agrada numa história é a evolução de um personagem, o que não esteve presente nem no Sora, nem na Shiro.
        É emocionante ver as motivações das pessoas fracas, as decepções delas ao saberem que não tem força o suficiente, e depois ir em busca dessa força.
        Bom, vou lhe dar um exemplo, a Misaka, de Index/Railgun, ela é a terceira mais foda da cidade lá, vence de todo mundo, mas quando aconteceu os bangs lá, e ela percebeu que não podia fazer nada, ela tentou ficar mais forte, ela tentou fazer algo pra salvar as pessoas queridas, depois de ver alguém que ela amava ser morta.
        Ela vencia todo mundo, mas perdeu pelo menos uma vez, e evoluiu de todos os jeitos, é isso que falta em NGNL, a evolução dos principais.

        (escrevi um texto pq me lembrei da minha waifu e fiquei inspirada -q)

        • Do ponto de vista de um combate tradicional… sua observação é bastante válida. Mas no caso da senhorita Misaka Mikoto… o desenvolvmento pelo qual ela precisava passar não era o de ficar llteralmente mais forte, como aliás é o objetivo da Acade City vale a pena frisar…

          Era o de aprender que ela não pode/precisa fazer tudo sozinha, Ela precisou aprender a depender das outras pessoas também e muitos casos abaixar a cabeça, mesmo que seja para alguém como Shokuhou Misaki (até onde cabe a ela uma patricinha com toda popa e circunstância) ou Telestina Kihara (que é o cão chupando manga). Era o caso de desistir de ser uma heroína ideal (imbatível) porque haviam coisas mais importantes em jogo.

          Em No Game No Life o clima é bem diferente,e boa parte da tarefa da Kuuhaku é mostrar para Disboard que o ponto exatamente esse! Não é um jogo de vida ou morte, é um jogo entre cavalheiros (quem ganha vence e nada mais).

          A idéia é irar todo mundo, para que todo mundo estude mais, pratique mais, se esmere mais pra ir até lá GANHAR e tirar aquele sorriso adorável da cara deles… Uma vez que os jogos são tudo o que eles tem, definitivamente é o único jeito de você provar algo diferente porque a regra número 1 desse mundo é essa… Se um dia aparecer alguém nesse mundo que possa fazer exatamente isso vai ser um rival a altura deles e eles não vão mais estar sozinhos e assim a história acaba… a busca deles acaba… pra começar uma e buscar um meio de bater esse novo rival… simples assim

          E por hora este rival é Deus… atrevimento da parte deles, não? Só uma pedra no caminho não ia ser o suficiente… Até porque se eles perderem antes disso ai quem não vai querer mais é o/a Tet… Levante a mão se você discorda.

          Sinceramente os adversários até agora perderam não porque jogaram mal, perderam porque levaram o jogo a sério demais…

          Ah! me exaltei de novo… mas acredito que desta vez consegui expressar bem o meu ponto de vista.

          No mais, eu sou particularmente um Shipper Misaka x Kuroko então não posso apoiar a sua heart flag… sinto muito…

          Até mais ver
          mr. Poneis

          • Drakoel

            Sim concordo … mas se vc ver história do autor desse anime ele diz que ele sofria bullying por ser o único brasileiro nas classes que ele estudava … e acredito que esse anime e algo para mostrar que não só e algo que ele e melhor que eles mas também para mostrar uma realidade … que pessoas com habilidades consideradas irrelevantes para algumas pessoas são tudo para outras .

          • But real life is really a sour thing to consider into the equation… Although it folded No Game No Life into the media it is today… real life still is sh*t…

            Até mais ver
            mr. Poneis

          • Drakoel

            yes and it’s true … but if you are watching real life and life in games both have positives and negatives, and something that happened today sometimes you prefer to exclude from the world … you can see that even in the anime there things that please us in the real world and for them was to have the other does not?

          • I have to disagree with this one.

            What could be negative in life inside a game? From the point of view of gameability, bugs or your inability to play the game are REAL LIFE issues. From the point of view of the plot, there always a way to solve any problems that may happen, very different from REAL LIFE.

            To put it simply:

            Life inside a game: the ambient adapts to you! You want adventure? There’s it! You want romance? There’s it! You want ### (replace with anything you desire)? There´s it!

            REAL LIFE: Or you adapts to the ambient or you die the ugly death. No money, no friends, no powers. no equivalent exchange, the better of your efforts won´t always pay what you just deserves.

            Simple like this!

            Well, maybe i’m just a glass half empty type of guy…

            até mais ver
            mr. Poneis

          • Drakoel

            sim isso e verdade nos jogos você acha muito mais facilmente varias coisas, e na vida real nao , mas se for ver maioria das pessoas hoje em dia preferem os jogos pois podem esquecer este mndo e voltar para onde você nao e discriminado pelo que faz , e uma boa terapia para esquecer alguns problemas …

          • This is what people call escape from reality…

            até mais ver
            mr. poneis

          • Drakoel

            yes thanks

  • Você disse que para quem não gosta de fanservice NGNL não incomoda tanto. Vai sonhando! Ele pode não ter um fanservice mais esculhambado do tipo ImoCho ou DxD, mas ele é recorrente em NGNL e pior, para o terror de quem é mais chato com isso, explora o fanservice de menininhas como a Shiro (vi um monte de gente largando por causa disso). É o tipo de anime que seria abominado se saísse de fora da bolha otaku XD. Eu mesma jamais recomendaria para algum amigo aqui fora, hahahahaa.

    Sobre o uso recorrente do dom de previsão do Kuhaku, eu achei que fazia parte da estratégia do autor de mostrar as habilidades deles no inicio, mas com o passar do tempo e inimigos mais poderosos, ele fosse sabotando isso até deixar mais equilibrado. Não é assim, não?

    Gostei demais de NGNL, mas eu não achei as partes de drama tão boas. Era sempre de uma forma cartunesca e exagerada, não dava para se levar a sério. APESAR que valia pela dose de ternura do Sora com a Shiro. Os dois tem uma quimica excelente, vê-los juntos era adorável.

    • lalalalal

    • Marco

      Não li spoilers pós volume 3 pra saber se eles perdem em algum momento, mas eles seguirem com o mesmo sistema de clímax por 3 volumes eu já achei meio exagerado (fora os problemas lógicos e tal).

      Hum, bom saber, deve ser porque já estou acostumado então. Fora que conheço gente que é chata com fanservice e tava vendo de boa.
      Não curto muito fanservice por fanservice mas o de NGNL me fazia rir pelo jeito cara de pau com que ele era mostrado. Ri demais do protagonista tirando os mamilos e “as partes baixas” das garotas para poder deixar elas peladas sem censura. Eu não ligar muito pra lolis fazia meu cérebro ignorar o fanservice da irmã, mas pensando agora ele era bem explorado mesmo.

      Achei o drama satisfatório dentro da proposta e clima do anime. Com certeza não é nada sutil e a mistura de comédia no meio não ajuda, mas só por ele existir em uma obra desse tipo eu já dou mérito. Dado a proposta do anime não é algo que eu esperava. Ele ser um “bom drama” é complicado já que do meu ponto de vista um bom drama exige sutileza e um tempo considerável de construção e desenvolvimento do personagem, algo que tem um custo muito alto em termos de tempo (complicado de aplicar nesse tipo de proposta “aventura frenética”).

      • Drama não precisa ser sempre vomitado, pode se dar das formas mais sutis. Para mim, um bom drama é o que sabe se pontual, não precisa ser extenso ou pesado.

  • Está decretado que qualquer coisa abaixo de “mamilos femininos sendo mostrados” não podem ser consideradas fanservice pelos padrões atuais.
    *carimba o decreto

  • Quanto ao clima de “foi tudo como o ´planejado!”, que o Sora usa e abusa…

    é mais um recurso de guerrilha psicológica (não tenho muita certeza se eu posso traduzir psicological warfare assim…)

    O Final de Battle Tendency tem isso usado e explicado… O Jojo da segunda temporada, Joseph usa o mesmo modus operandi que o Sora que é usar vários truques baratos, manjados, mas quase sempre super efetivos pra desestabilizar o oponente.

    Na batalha final com o vilão da temporada, quando todos os truques sujos acabam, o herói depende de um milagre para vencer porque o vilão, Cars ficou super OP… e o autor dá um milagre para que o Jojo vença… mas como nem o Jojo estava esperando o milagre o que ele pode fazer é aproveitar e dizer que foi o plano dele o tempo todo, só pra deixar Cars puto e não conseguir se situar e escapar da situação…

    Acredito que o Sora fez a mesma coisa na partida de xadrez… depois que tudo já tinha acontecido era mais fácil levar o crédito… Mr. Satan que o diga.

    É particularmente interessante porque vai contra o que muitas vezes você esperaria que um herói fizesse, o que tira até quem assiste do rumo de vez em quando também. Eles também deixam explícita a noção de que ganhar é mais importante que fazer as coisas do jeito certo, o que costuma ser um tapa na cara (procurando go melhor para traduzir ‘take that!’) para heróis que usam truques sujos em nome da justiça, algo como o tradicional ‘todo mundo contra o vilão’, tradicionalmente chamado como ‘poder da amizade’.

    Até mais ver
    mr. Poneis

    Ps.: Você vê que até as cenas de banho são tratadas no contexto de comédia com todo aquele papo de ‘despir a sua alma’ e ‘amigos não tem o que esconder uns dos outros’… sua quilometragem pode variar mas pra mim até que a justificativa é válida.

    • Marco

      Não, no Jojo pode até ser sido mas em NGNL é deixado bem claro pelas explicações detalhadas que ele “preveu todos os movimentos do inimigo”. Eles não simplesmente fala isso como também explica passa a passo o que ele previu que eles fariam e a contra medida que ele tinha criado de antemão. Nada é sorte ali, só o autor abusando do bom senso das pessoas e contanto que elas não vão ficar pensando se aquilo foi lógico ou não (e a maioria não analisa nada mesmo).

      O autor usou isso em 3 volumes direto, espero que nos próximos ele mude o esquema, se não vai ficar sem graça.

      • Acho mais fácil ele ligar o final do volume 6 com o final do anime… porque “um leopardo não muda as suas pintas” já dizia o velho ditado… A única coisa que o Sora tem é quebrar a pokerface das pessoas e a única coisa que a Shiro tem é ser um graça, quero dizer ser mais potente que o meu computador… e essa combinação é o modus operante da Kuuhaku.

        Só um instante para eu acertar um detalhe. Estou me referindo a Kuuhaku como uma dupla, por isso o feminino. Mas talvez fosse melhor eu me referir a tradução literal “espaço em branco”? Por hora talvez seja melhor eu fazer que nem com o/a Tet… Eu acompanhei tudo em inglês então não tenho certeza da tradução adequada… me desculpe…

        Caham… resumindo em tempos idos Joseph Joestar usava o mesmo nível de análise do Sora mas combinava isso com o blefe dos Werebeasts de que sabia ler mentes. Seu truque favorito na época era prever exatamente a próxima linha que o seu rival tinha em dado exato momento.

        E então você vai dizer: “Mas se ele fez isso o manga todo, deve ter ficado muito do manjado!”

        E eu direi: “Exatamento desse jeito!”

        E como você mesmo explicou a idéia é que nem todo mundo é tão esperto… a maioria compra essa idéia de “fodástico por análise” que ele usa… É interessante ver a Steph tendo dificuldades para acompanhar tudo…

        Algo mais que justifica ter de fazer isso no final de todo o duelo é a regra 8 de disboard… Acredito que é essa que lhe desclassifica por trapacear e coisa e tal. É como se ele desse uma última chance de seus adversários pegarem ele no pulo…

        Dessa forma não só quem perdeu mas quem está lendo/assistindo tem condições de ficar no mesmo paragrafo que eles. De novo a Steph. Particularmente eu acho que casou bem legal com o anime, porque confesso eu sou aquele tipo lerdo que tem de pausar e voltar a ação para ter certeza do que acabou de acontecer…

        Céus eu sou que nem a Steph… menos bonito, mas acho que isso não vem ao caso…

        Verdade seja dita o seu ponto é válido, mesmo em uma Novel em que o autor só tem texto para preencher suas páginas em branco, não é a moleza que um mangaka tem de fazer double spreads com imagens do personagem enchendo “Caham Kubo Tite” o “caham Bleach” quadro. Um autor precisa de versatilidade e dinamismo… bom quem sabe na próxima historia que ele for escrever…

        Mas talvez, tenha mais haver com a natureza dos jogos que estão por vir…Adoraria ver eles tentado fazer isso numa disputa de braço de ferro com a raça dos gigantes… Bastante improvável eu sei…

        Aliás Kuroko no Basket que anda perdendo o toque por fazer isso com basquete recentemente…

        Até mais ver
        mr. Poneis

        Ps.: Em tempo: Para você que lê a Novel, se escreve Werebeast (como em werewolf) ou Warbeast (como fera de batalha)?

      • lucio leite

        acho q as estrategias são criadas a partir de informações sobre o inimigo como ;ele sabia q estava sendo monitorado e a sua localização sendo repassada e usou a jibril para ganhar tempo(se a jibril q era considerado a mais forte entre eles pelo inimigo não pode derrotar ela ele achou q já tava no papo) ! assim ele pode colocar os inimigos aonde ele quer q eles esteja. alem do mais eles(os inimigos!) tinhão muita confiança e não iam pensar em ficar ligeiro contra o inimigo o q os torna mais fácil de se manipular, acho q unica parte q fiquei boiando total foi na parte do juramento q ele usou para fazer a steph chegar na hora certa no local! valeu

  • lucio leite

    e ai povo ,beleza! acho q vcs estão levando isso de eles tem de perder muito a serio , se isso acontece-se a historia do anime já era( porque a historia do anime e dois irmão imbatíveis em jogos)!já sobre as estrategia eu não achei tudo isso q vcs falam não , porque eles usam o próprio velho la para fazer a izuna irem aonde eles quiserem q ela fosse , já q ele sempre ia passar onde eles estavam! acho q unica parte q fiquei perdido foi na parte em q fala o plano pra steph e ela chegar na hora certa, só isso! o resto gostei bastante , já q não ligo pro fanservice(dxd minha light favorita kkkkk)

  • Kankoro

    Acho que o ponto no qual vc critica a obra é relacionado a seu gosto pessoal…Tem pessoas que gostam de ver o personagem galgando cada Degrau ate ficar forte e invencivel/outros detestam assim como eu!Não achei exagero algum eles sempre preverem oque o oponente faz(E nen de tudo eles sabem)É bem parecido com os filmes de Sherlock Holmes que eu vi e adorei isso c.c.
    ~~
    Você por acaso sabe onde acho o volume 5 e 6 da obra c.c?(Em ingles mesmo)

    Desde já grato

    Ps:Review exelente em ^^ so conteudo fod-a no Blog xd

    • Marco

      Se fosse gosto pessoal eu evitaria reclamar. O problema não é ele ser “badass”. Eu inclusive gosto bastante de personagens “fodões” (tipo o Levi de SnK). Só que pra tudo tem limite.
      As previsões de Sherlock Holmes (tanto dos livros como filmes) são baseadas em análise de aspectos lógicos ou comportamentais e fazem muito sentido quando explicadas. As de NGNL não fazem. Não que nada faça sentido, mas presta atenção nas explicações e vai ver que tem muitas coisas que ele fala que previu que é impossível de prever com raciocínio lógico e análise.
      Se as explicações fizessem sentido eu só iria reclamar da previsibilidade do roteiro (o fato de que no final de toda luta ele vai ganhar e dizer que foi tudo como ele planejou).

  • Afmjuniors

    Povo que so repete oq os outros falam eh foda. Primeiro sobre a parte de serem fodas e n evoluem. Besteira, eles são foda como equipe, sozinhos n são nada. Sora fala até que uma coisa importante para aprender é perder. Ja sobre tudo de acordo com o plano, é bem explicado uma coisa que voces parecem n entender, a maior arma do [] é a adaptação e isso é mostrado claramente no jogo de xadrez, onde a shiro teve q sair pq n conseguia comandar as tropas, o sora teve que mudar de estrategia qdo os seus peos comecaram a ir pro outro lado, mostra ele ate desesperado sem saber oq fazer ate q tentam matar a rainha com o cavaleiro.
    a parte mais forçada no ANIME, é a ultima resposta da jibril, que se n fosse aquilo eles perderiam, a no NL ele diz que tinha preparado umas 20 resposta de acordo com a personalidade dela e se n fosse nenhuma dela ele n teria ideia do q fazer.
    Outra coisa é o NPC, podemos ate falar q tem logica conseguir calcular a rota que os npcs fazem, o que me deixou mais chateado foi o fato da shiro acertar a steph q acertou a bala da jibril q fez a izuna pensar q era pra ela, foi perfeito d+ pra n ser considerado exagerado.
    E pra deixar uma coisa clara, o [] deixa claro que o motivo q ele ganha da ibril e de tds os outros (q n são imanity) é pelo fato deles os subestimarem e n fazerem planos B ou C caso haja imprevistos, ou seja, esses oponentes não conseguiram se adaptar. ahh, e eles so derrotaram tet pq no xadrez q eh impossivel usar magica a shiro tem uma vantagem sinistra sobre qualquer oponente, claro se n fosse o sora ela agiria como os pc, fazendo apenas os melhores movimentos e caindo em armadilhas.

  • Cyrus Annihilator

    Intoxicação colorida!
    Este é o primeiro anime que assisto com este estilo de cores e curti muito. Para mim, foi bem diferente e muito bem feito.
    Muitas reviravoltas são bem exageradas mesmo, mas pra quem assistia Yu-Gi-Oh, é algo que não chega a estragar o clímax.

    O Ecchi me incomoda um pouco. Seria um anime perfeito pra assistir com minha esposa, mas o fanservice provavelmente vai afastá-la. Sem contar que expõem demais uma menina de 11 anos… bem, culturas diferentes…

    Muitos reclamam q a primeira temporada demorou muito, que só conquistaram uma raça das 16. Mas na verdade, eles conquistaram duas (incluindo os humanos) e a batalha contra os Werebeasts durou só cinco episódios. Então, é possível que próximas temporadas mostrem até 3 raças novas.

    A primeira temporada ganhou minha atenção, espero q ganhe novas temporadas até sua conclusão.

    • WildWalkerr

      Está certo, também não gostei desse ecchi forçado.

  • Bem que uma versão vídeo seria interessante se por acaso confirmarem uma sequela, seria bem conveniente…..eu sem querer perdi a chance na época, mas não poderia concordar mais com a nota.

  • Denyboy Uchiha

    Review excelente marco e o ecchi e o fan service não me incomodaram.creio que se não tivesse o ecchi eu o teria considerado o segundo melhor anime de acordo com meu gosto sendo assim sword art online ficando em primeiro.

  • Aluizio Neto

    Como eu posso dizer, fanservice foi o que menos me incomodou, a cena da piscina mesmo fez eu dar umas gargalhadas. Os exageros posso até relevar e dou um 9/10. O pessoal diz que foi forçado o ecchi mas nunca viram seikirei kkk um vento e sua roupa se rasga toda.

  • Fabio R. Lima

    é vamos ver o filme. e ver se vai ficar tão bom quanto a s1.

  • DArkAiron

    Marco, onde vc leu a obra original?

    • thomasg

      é publicada pela newpop

  • Nathan Corona Ferneda

    A shiro tb é protagonisa